Objetivo de Nifo é a manutenção. Equipa praticamente fechada

Pedro Nifo já tinha sido convidado no passado para dirigir o HC Os Tigres.
Em entrevista ao Almeirinense revela o desejo da equipa cimentar posição na 1.ª Divisão de um clube com espírito guerreiro e trabalhador.

Como surgiu a possibilidade de treinar do HC Os Tigres?
Já o ano passado tinha havido uma abordagem pela anterior Direção, e este ano perante o convite que me foi endereçado pela atual Direção, ponderei e resolvi aceitar, após ter tido um ano de interregno para descansar de cerca de 10 anos consecutivos a treinar.

O que o seduziu neste convite?
Em primeiro lugar, o facto da equipa ir disputar o nacional da 1ª divisão, bem como, a forma como é vivida a modalidade na cidade de Almeirim.
A estes dois fatores, podemos acrescentar o projeto sério e aliciante delineado pela atual Direção, o qual, tem a sua base na obtenção da estabilidade desportiva do clube na 1ª divisão, aliada ao rigor financeiro.

A ida para Almeirim estava dependente da subida à 1.ª Divisão?
Não quer dizer que estivesse dependente, mas contribuiu de alguma forma, até pela necessidade que os clubes da primeira divisão têm, no que diz respeito a contratar um treinador que tenha o nível 3, no entanto, como atrás mencionei, toda a envolvência e a forma como é vivida a modalidade em Almeirim, pesou na minha decisão.

Com que opinião ficou dos jogos que assistiu no final da temporada?
Saliento o espírito guerreiro da equipa, a qual, não obstante se debater com algumas dificuldades quanto ao número de jogadores disponíveis no final da época, não virou a cara à luta e conseguiu atingir os objetivos a que se propôs.
Pude assistir a alguns jogos da equipa, a qual a meu ver, dispunha de um lote de jogadores com uma qualidade acima da média, para o nível da generalidade das equipas da 2ª divisão.

Qual será a equipa técnica?
Será constituída por mim e com a preciosa ajuda do João Simões como, massagista / fisioterapeuta, estando a possibilidade da entrada de um preparador físico, ainda em aberto.

Na equipa também haverá muitas mexidas?
A minha vontade inicial, era manter todo o plantel do ano passado, fazendo obviamente uma ou duas contratações face às exigências da 1ª divisão, mas atendendo a motivos pessoais e profissionais de um ou dois atletas, vimo-nos obrigados a fazer um maior número de mexidas do que aquelas inicialmente previstas.

O plantel está definido?
O plantel está quase definido, havendo apenas uma ou duas situações por resolver, no entanto, já podemos confirmar a entrada de quatro novos atletas para posições diferenciadas.

Quais são?
João Patrício (Gr. ex – Alenquer); Vasco Batista (Defesa ex – Sintra); Márcio Nunes ( Médio ex – Júnior P.A.) e Filipe Bernardino (Avançado ex – SCP).
A estes atletas poderá haver a acrescentar mais um, mas ainda não poderemos revelar o nome, uma vez que, a sua vinda, está dependente da resolução da sua situação profissional.

Diogo Quina, o único jogador de Almeirim, fica?
Sim, claro que fica, até porque considero importante haver jogadores no plantel cujas raízes sejam de Almeirim, para fortalecer o mais possível a identidade da equipa e a sua ligação à cidade e região.

Quando começa a pré-temporada?
Iniciamos a pré-época no dia 25 de agosto

Já há jogos pré-definidos?
Sim, já temos confirmada a presença nos torneios do BIR e do Sporting de Tomar, a realizar nos fins de semana de 6/7 e 13/14 de setembro.

O que lhe pediram como objetivos?
Os objetivos passam obviamente pela manutenção na 1ª divisão.

O que terá os Tigres de fazer de diferente, da última passagem pela 1.ª Divisão, para assegurar a manutenção?
Na minha perspetiva, na última passagem pela 1ª Divisão, o principal problema prendeu-se com a escassez de jogadores disponíveis para os confrontos de maior importância que a equipa teve, no entanto, como não acompanhei em pormenor o trajeto da equipa, não estarei habilitado para tecer mais comentários sobre as causas prováveis para não conseguirem assegurar a manutenção, sendo certo que, apenas na última jornada ficou decidida a descida, na altura disputada entre o SCP e os Tigres de Almeirim.

O Pedro Nifo tem estado ligado à formação, este é o maior desafio da carreira?
Efetivamente nos últimos seis/sete anos treinei sempre os escalões de Juvenis e Juniores, tendo a opinião pessoal, que estes dois escalões já deverão ser considerados como escalões de competição e não de formação, a qual, termina nos Iniciados.
Contudo, a última equipa sénior que treinei foi há uns anos a Liga de Algés, com a subida à 2ª Divisão Nacional.
Considero ser mais um desafio, a acrescentar àqueles que já tive, sendo certo que, os anos em que treinei equipas de juvenis e juniores, tivemos sempre por objetivos a conquista de títulos, quer de âmbito Distrital/Regional, quer no âmbito Nacional. Este é sem dúvida um grande desafio, atendendo à qualidade das equipas que estão na 1ª Divisão, no entanto, não consideraria sequer a hipótese de integrar um projeto que não tivesse em vista, a conquista de objetivos aliciantes, como é este a que nos propomos, e para o qual, vamos lutar com todas as nossas forças, não obstante, as limitações orçamentais e o cumprimento escrupuloso do orçamento do clube, o qual, não é sequer comparável, à maioria das equipas que estão atualmente na 1ª Divisão.

 

 

A entrevista a Pedro Nifo foi publicada na edição papel 1073 de 15 de julho.

.