Cabanas de Frade, uma imobiliária de venda e arrendamento de confiança

Luís Boazinha criou a Cabanas de Frade como um objetivo de vida e desde então que tem vindo a crescer no mercado imobiliário em Almeirim e em Portugal.

Como começou a Cabanas de Frade?
Começou há dez anos atrás, depois de uma experiencia imobiliária, decidi que era uma empresa de mediação imobiliária que pretendia ter. Negociamo-la, compramo-la e fizemo-la crescer. Começamos com um pequeno escritório em Fazendas de Almeirim, ao pé da Pinheira. Ao longo do tempo fomos crescendo e mudamos de escritório para Almeirim, era um dos objetivos iniciais, não foi possível no início porque existiam cerca de dez ou mais empresas de imobiliário na cidade. A princípio dedicamo-nos ao ramo mais rural do negócio na periferia da cidade.

Como é investir no setor imobiliário de Almeirim?
Trabalhamos com investidores interessados em Almeirim, ainda é seguro investir cá pois existem vias de comunicação que nos torna no centro geodésico a nível de estradas, tenho clientes do norte que investem no sul e acabam por cá parar pois a partir de cá é fácil ir a qualquer sítio. É uma terra com pessoas que gostam de cá morar, quem cá está não gosta de sair, é uma boa cidade para viver sendo seguro investir e ser rentável.

As pessoas preferem comprar ou arrendar?
A mentalidade do “português” sempre foi ter algo próprio mas tendo vindo a alterar-se, devido aos empregos precários optando pelo arrendamento, tornando-se também mais fácil a mudança, comprar já não é tão fácil. Atualmente com o investimento dos bancos no crédito à habitação voltando a ser rentável pois a mensalidade de um crédito é mais baixa que uma renda.

A crise afetou o negócio no passado recente?
Afetou sim, mas, as crises são boas no sentido de separar o que é bom daquilo que é mau. Em tempos de bonança todos conseguem tudo mas em tempos de crise só aqueles que usam as tarefas adequadas ficam. Em tempos difíceis há que orientar-se os meios para aquilo que é rentável. Apesar de tudo na nossa casa não a sentimos muito porque a soubemos gerir bem.

Que novos instrumentos usam para atrair clientes?
Numa crise utiliza-se a restruturação do marketing para atrair clientes e formam-se os colaboradores para combater as adversidades. Fazer as pessoas que arrendar talvez seja melhor comprar é uma dessas aprendizagens que fazemos entender a quem connosco trabalha por exemplo, não se criam ilusões e faz-se por entender o que as pessoas desejam.
A ferramenta física principal é a Internet, sendo que 90% dos nossos clientes provem do mundo virtual porque a empresa conseguiu acompanhar bem este meio.

Projetos para o futuro?
O futuro passa por parcerias, ter mais ação social, continuar com estratégia de imóveis de “banco”, temos protocolos com dez destas entidades e continuar no negócio do arrendamento que está a crescer e que no qual nos temos saído muito bem.

 

 

.