Águas do Ribatejo foi exemplo na Conferência Europeia da Água

Ministro do Ambiente realça que modelo da AR está a ser replicado com sucesso em várias regiões

A prioridade do Ministério do Ambiente é promover a agregação de sistemas municipais para ganhar escala e viabilizar investimento na digitalização. O anúncio foi feito pelo ministro do Ambiente na abertura da “EIP Water Conference 2017”, conferência promovida pela Parceria Europeia de Inovação para a Água (European Innovation Partnership on Water) que decorreu no centro de congressos da Alfândega, no Porto de 25 a 29 de setembro.
A ÁGUAS DO RIBATEJO esteve presente na conferência que reuniu cerca de 2000 especialistas de todo o mundo nas várias sessões de trabalho que tiveram como tema comum a boa gestão da água e a inovação.

A AR marcou também presença na exposição que juntou entidades gestoras, instituições e empresas consolidadas que operam no setor do abastecimento de água e tratamento de águas residuais.

O stand da AR focou os investimentos já realizados e as operações em curso financiadas pelo POSEUR PORTUGAL 2020.
Ao longo da conferência tivemos dezenas de abordagens com entidades nacionais e internacionais interessadas em conhecer o modelo de gestão da AR que foi pioneiro na agregação de sistemas municipais.

O ministro Matos Fernandes salientou a evolução positiva na constituição de entidades gestoras que reúnem sistemas de vários municípios fomentando a coesão e a boa gestão dos recursos.

O representante do governo salientou ainda “a enorme capacidade científica portuguesa na fileira da água”, evidenciada em dois centros de saber instalados no LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Um deles (Liswater) é um centro de formação à escala mundial no domínio da regulação do sector da água, e o segundo é um centro de excelência para o ciclo urbano da água das Nações Unidades.

Nos últimos 25 anos, Portugal investiu 10 mil milhões de euros no ciclo urbano da água, desde a captação até ao tratamento das águas residuais. Este esforço financeiro “conduziu o país a um patamar de excelência” e a uma nova fase em que a prioridade se centra “na renovação de redes e adoção de modelos inovadores de gestão que potenciem a eficiência e garantam a sustentabilidade ambiental e financeira do sistema”.

No universo da Águas do Ribatejo foram investidos mais de 115 ME no ciclo urbano da água. As obras nos sistemas de abastecimento e saneamento colocaram a região ao melhor nível europeu.

Neste momento estão em curso várias empreitadas nos concelhos de Torres Novas e Benavente com investimentos na ordem dos 15 ME. No próximo mês de novembro, decorre o Encontro Nacional de Entidades Gestoras (ENEG). A AR vai estar presente na conferência e exposição que este ano será em Évora, de 21 a 24 de novembro. O evento irá debater os principais desafios do setor da água e já garantiu a participação de centenas de participantes.