Do Caldo de Pedra à Sopa da Pedra

Do Caldo de Pedra de Teófilo Braga (contos tradicionais do povo Português, 1883) à Sopa da Pedra de Paula Rego e Cãs Willing, 2015

A Humble Gastronomic Tale about Sharing

Há todo um encanto e a magia de uma lenda, que associada a este prato e ao espírito inventivo de um frade, a projeta para uma dimensão única no património gastronómico nacional. Basta que haja a capacidade de fazer acontecer e a “pedra” como ponto de partida. Para tal observar, basta percorrer Portugal de Norte a Sul e temos literalmente o nome da referida sopa “espalhado por todo o lado”, e é avistá-la numa placa de restaurante da berma da estrada, ou contemplá-la na carta dos restaurantes mais importantes do país. E lá está o nome da sopa a apregoar a sua existência. É claro que em situações diferentes, pois encontraremos muitas vezes nos restaurantes anteriormente referidos o mesmo nome atribuído a diferentes sopas. Nos restaurantes ditos “da estrada”, normalmente encontramos reconfortantes e substanciais sopas de feijão, feijoadas, sopas à lavrador, etc., que, ao terem o nome da falada sopa da pedra, serão assim mais apelativas a quem nas ditas estradas circula.

Nas casas “importantes”, temos pratos elaborados e sofisticados, onde a utilização de um só ou mais ingredientes que compõem a famosa sopa, apelam ao romantismo de uma lenda e à força de um nome para se destacar numa ementa que se pretende atualizada e em mudança. Poderemos sempre também encontrar esta em qualquer loja ou casa das sopas, umas vezes com massa, outras vezes couves ou outros legumes, em tudo alheios à receita original da mesma. Será certamente toda esta importância e romantismo que o seu nome tem, que terá levado o Chef Luís Gaspar, do Restaurante Sala de Corte, a incluí-la no menu que o levou à vitória do “CCA 2017” (Chefe Cozinheiro do Ano). Ou levado a Coca-Cola a trazer a Almeirim, em 2015, o Chef Alexandre Silva, do Restaurante LOCO, Estrela no Guia Michelin, para a aqui confecionar num concurso da referida marca. Ou até levar o Chef Joachim Koerper, do restaurante Eleven a afirmar que “Esta sopa da pedra tem estrela Michelin”, sobre esta iguaria, que é um dos seus novos e mais curiosos pratos da carta de outono. Mas, como explica a Wikipédia, Sopa da pedra ou sopa de pedra é uma sopa típica portuguesa, em particular da cidade de Almeirim, situada no coração da região do Ribatejo, considerada a capital da Sopa da Pedra.

Por este motivo, assim que tiver oportunidade, passe por Almeirim e prove a sua tradicional Sopa da Pedra, uma Caralhota e os seus vinhos e, no final, delicie-se com uma fatia de melão. Visite Almeirim, a Capital. Aqui temos uma mesa reservada para si.

.