Nunca se tinha visto tanto interesse pelo espetáculos

HISTÓRICO Cine Teatro esgotou em quatro dos cinco espetáculos em março.

O início de março vai ficar na história do Cine Teatro de Almeirim e da própria cultura do concelho. Quatro espetáculos esgotados e um quinto que encheu e tudo.
E tudo começou com Sinel Cordes, que organizou mais um espetáculo na cidade com bilhetes a 14 euros e mesmo assim teve lotação esgotada.

O humorista, sempre em jeito de piada, justificou a escolha de Almeirim novamente: “Eu volto quase sempre. Sabes que há seleções que eu faço dos espetáculos conforme a comida da região. Não, estou a brincar, sopa da pedra é sempre um clássico aqui em Almeirim e começa sempre o dia, ao final do dia com um bom jantar ali, com touro guisado e sopa da pedra. Gosto muito desta sala, já venho há muitos anos, desde os tempos do Lx Comedy club, foi uma coisa progressiva, começou a correr cada vez melhor, começamos a ter cada vez mais público”.

“Nada mau para um concelho da província”.
Pedro Ribeiro – Presidente CM Almeirim

O dia 3 de março vai também ficar registado como um dos momentos únicos. Os DCM esgotaram o Cine-Teatro com uma noite mágica para o grupo que contou com a participação especial de Fernando Piedade. Alexandre Caipira disse que “foi uma noite extremamente agradável e ficamos todos muito mais felizes depois do concerto. Foi muito estimulante ter tido a casa cheia e o feedback do público foi extraordinário. Gostamos muito”. Já Telmo Marques destacou que “passa muito por ir ao álbum de recordações sonoras de todos nós, nacionais e internacionais, e escolher alguns temas com que nos identifiquemos construídos e reconstruídos por nós. O objetivo é sempre colocar um sorriso na cara das pessoas, como aconteceu hoje aqui”.

No espetáculo solidário de Nilton, a favor da Constança, a sala também esgotou e no teatro do Teatro Veto Oficina, para os jovens, a sala encheu.
José Cid, Teresa da Câmara, Carlos Guedes de Amorim, José Soeiro e José da Câmara acompanhados à guitarra por Luís Petisca e na viola Armando Figueiredo esgotaram a sala numa de noite de fados.

Pedro Ribeiro assinalou o momento com um texto nas redes sociais: “Uns organizados pela Câmara, outros por instituições com propósitos solidários. Uns pagos, outros gratuitos. Dos cinco eventos, quatro estiveram esgotados (270 pessoas) e o outro teve 240. Ou seja, em 10 dias passaram por este espaço mais de 1300 pessoas, nada mau para um concelho da província”.

.