Da Esquerda para a Direita: Esconderijo

Nas últimas semanas, os munícipes de Almeirim ficaram a saber que a CMA comprou uma casa junto ao Centro Cultural de Fazendas de Almeirim por cerca de 40 mil euros, até aqui tudo bem. Agora, quando a compra da casa visa a sua demolição, surgem várias questões que me inquietam. Vamos aos factos: o Centro Cultural foi inaugurado em setembro de 2013, três semanas antes das eleições autárquicas, e teve o custo de 2 Milhões de euros. Foi também criado um largo e um parque infantil localizado num recanto, atrás de uma habitação. Este recanto ou “esconderijo” tem sido ao longo dos anos utilizado para fins questionáveis, sendo alvo constante de vandalismo. A CMA propôs-se, e bem, a resolver este problema porém, discordo da sua solução que passa pela demolição da habitação de modo a expor o parque infantil e afugentar estes utilizadores. Permitam-me levantar as minhas questões: Num projeto de 2 Milhões de euros, o bom senso não alertou para a pobre localização daquele espaço? Que seria propícia a situações como esta? Este projeto não poderia ter albergado, desde logo, umas instalações mais dignas para a junta de freguesia? E uma caixa de multibanco? Maximizando a utilidade do dinheiro gasto. Mais, esta habitação não poderia ser utilizada para fins mais nobres? Para habitação jovem, de famílias carenciadas, para acolher quem não tem onde viver dignamente? Quando uma habitação é destruída para corrigir problemas de projetos recentes, dando lugar à estética, algo vai mal no nosso concelho.

João Rosa – CDS Almeirim

.