Câmara paga em 72 horas

PAGAMENTOS As contas da Câmara referentes a 2017 foram aprovadas no dia 7 de maio e o prazo de pagamento baixou de cinco para três dias.

Para além de uma execução perto dos 90%, a autarquia diz ter fechado o ano sem dívidas a fornecedores e “ o nosso prazo médio de pagamentos a fornecedores reduziu-se ainda mais. No ano de 2017 foi de 3 dias. Relembrar que em 2016 já era de 5 dias”, destaca o Presidente do município.Pedro Ribeiro diz também que “no futuro, até por questões burocráticas, será impossível baixar mais. Um resultado só possível com o trabalho de muita gente, entre eleitos e colaboradores da autarquia.

É ainda de referir que 2017 foi ano de eleições autárquicas, onde há a tentação de se dizer que os “políticos” fazem mais obra e mais eventos. Esta é mais uma prova de que a gestão foi sempre feita ao longo dos anos, como está a ser feita agora, sem depender das decisões do ano ou das eleições”.

Segundo dados da Direcção-Geral das Autarquias Locais em 2016, as dez autarquias menos endividadas demoraram, em média, nove dias a pagar aos fornecedores. Fora deste universo, Santana, Azambuja, Miranda do Douro e Arronches pagaram na hora. Do outro lado da escala, a história é diferente.

As dez mais endividadas demoraram cerca de 337 dias a saldar as suas dívidas (quase um ano). Nazaré e Portimão, que levaram 1233 e 1290 dias a pagar, inflacionam a média. Tirando as duas mais demoradas, o prazo médio de pagamentos era de 106 dias. A situação da Nazaré e Portimão tem vindo a agravar-se. Entre 2010 e 2016, as duas autarquias aumentaram exponencialmente os prazos médios de pagamentos. Portimão agravou a média em quase dois anos e meio (870 dias) e a Nazaré em dois anos e dois meses, ou seja, 796 dias.

.