Não há soluções, há caminhos: 21 julho

Tanta gente, actualmente, sofre de “adolescência retardada”. Custa-lhes escolher. Ficam infantis ao pensar em tantas coisas que se lhes oferecem, lhes agradam e quereriam obter, mas a verdade é que… “já não temos idade para isso”. Quanto maior é o leque de possibilidades de divertimento, mais difícil é comprometer-se com uma realização séria. Aliás, de que andamos à procura: do divertimento ou da fecundidade?

Vasco P. Magalhães, sj

.