Da esquerda para a direita: Abate de arvores

A 21 de Março, assinalando a dia internacional da árvore, decorreu no Parlamento Europeu uma cerimônia de entrega do Prémio da Árvore Europeia do Ano 2018. A árvore vencedora foi um sobreiro português que se encontra em Águas de Moura, Concelho de Palmela.

Para além do prémio em si e do simbolismo do mesmo, esta distinção deverá levar-nos a reflectir sobre o papel da árvore no nosso planeta e na relação que se estabeleceu ao longo dos tempos e nas várias civilizações entre o homem e a natureza.

Publicidade

Uma árvore não passa despercebida, não nos é indiferente. Estabelecemos com ela vários tipos de dinâmicas, sejam elas económicas, utilitárias, lúdicas ou até espirituais. Nalguns povos, cortar uma árvore tem uma carga simbólica fortíssima e só acontece em último caso. Também nós, pertencentes a esta sociedade que tudo consome, que tudo devora na procura do benefício imediato, deveríamos parar para pensar no que estamos a fazer. O planeta não se pode dar ao luxo de continuar este insano comportamento.

Temos a obrigação de contribuir para a sustentabilidade do planeta.Estar atentos quando ocorrem abates de árvores, é uma forma de o fazer.

Nos últimos anos, Almeirim tem assistido a um desenfreado abate de árvores em nome da segurança, dizem-nos…

Recentemente, na EN 114, entre Almeirim e a Tapada, e na EN 368, entre a Tapada e Alpiarça, procedeu-se ao abate de variadíssimas árvores, algumas de grande porte. O lindíssimo “túnel verde” que antes caracterizava uma das entradas de Almeirim, está agora transformado numa estrada “rapada”. A CDU solicitou à Câmara Municipal que disponibilizasse o estudo/levantamento do ICNF que sustentou este infeliz abate.

Continuamos a aguardar…

 

 

.