Deixem as crianças serem protagonistas

A cada dia que passa, tornamos a educação das nossas crianças num desafio para nós ao ponto de esquecermos o que realmente importa. Óbvio que o seu percurso é da nossa responsabilidade até dado momento, mas o protecionismo exacerbado que se vê hoje em dia extravasa o admissível, isto é : os pais querem ser professores e alunos ao mesmo tempo (até se pudessem eram colegas de carteira). Não é bom este clima, facto que potencia a desconfiança no ensino o que abrange os docentes. É extremamente importante dar responsabilidades aos nossos educandos cimentando o seu carácter e assim terão um base solidificada na confiança e auto-estima. A segurança do seu futuro depende, acima de tudo, da liberdade e valores que se incute nos meninos de hoje. Vejamos o quão importante estarmos atentos aos pormenores que fustigam a nossa sociedade. Ocupamos os pequenos com electrónica (pc, telemóvel, tablet…) em vez de irmos à essência , por isso optam pelo afastamento, sem saberem socializar. ( “No nosso tempo é que era”) Discordo, os nossos pais eram de outra gema, educavam , aí se educavam. A liberdade era dada por um simples objeto: chinelo. Brincava-se muito , com pouco , e isso não há nada que compre. A política do consumismo transforma as nossas crianças obsoletas e os adultos nuns possessivos dependentes do like. Claro que esta conduta é retratada nas escolas, isso é mau, onde os superstars deveriam ser única e exclusivamente as crianças. (Digam não ao status virtual).

Eduardo Lopes
Escritor

.