Contos chegam ao jornal e rádio

Depois da parceria com a RCA Ribatejo, a Câmara Municipal de Almeirim através da Biblioteca Marquesa de Cadaval alargou a iniciativa ao Jornal O Almeirinense e está a realizar um novo projeto que visa dar a todas as famílias uma experiência fantástica. Desde 30 de março, todos os sábados, com início às 10h15 no programa de Sérgio Teodósio, o livro e a leitura vão estar em destaque com o prazer de ler uma história que depois pode ouvir na sua rádio “Quem conta um conto…”. A partir desta edição, os contos que passam na rádio vão também ser publicados na edições quinzenais de O Almeirinense. A iniciativa começou com as técnicas da Biblioteca Isabel Alves e Luísa Branco.

O cuquedo Selva acima selva abaixo andava o Cuquedo preocupado.
Por todos os cantos da Selva encontrava um par apaixonado.
Resolveu então procurar uma namorada para casar.
Escondeu-se no arvoredo e pôs-se a cantar: – Quem quer, quem quer casar com o Cuquedo que se esconde no arvoredo prega sustos que metem medo? Apareceu uma grou a gritar: – Quero eu, quero eu! – E tu sabes assustar? – perguntou o Cuquedo. – Claro que sim. – Então assusta lá! – disse o Cuquedo.
A grou abriu as suas longas asas e grulhou:
– GRU GRU GRU – Não, não, não…
Tu não sabes assustar, não serves para casar!
E dali a pouco tempo, pôs-se de novo a cantar:
– Quem quer, quem quer casar com o Cuquedo que se esconde no arvoredo prega sustos que metem medo?
Apareceu uma macaca a gritar: – Quero eu, quero eu! –
E tu sabes assustar? – perguntou o Cuquedo.

-Claro que sim.
– Então assusta lá! – disse o Cuquedo.
A macaca alongou a sua beiça e guinchou: – UH UH UH – Não, não, não… Tu não sabes assustar, não serves para casar!
E dali a pouco tempo, pôs-se de novo a cantar: – Quem quer, quem quer casar com o Cuquedo que se esconde no arvoredo prega sustos que metem medo?
Apareceu uma hiena a gritar: – Quero eu, quero eu! – E tu sabes assustar? – perguntou o Cuquedo.
– Então assusta lá! – disse Cuquedo. A hiena arregalou a sua dentuça e gargalhou: – Não, não, não… Tu não sabes assustar, não serves para casar!
E dali a pouco tempo, pôs-se de novo a cantar: – Quem quer, quem quer casar com o Cuquedo que se esconde no arvoredo prega sustos que metem medo?
Apareceu uma cobra a gritar: – Quero eu, quero eu! – E tu sabes assustar? – perguntou o Cuquedo. – Claro que sim. – Então assusta lá! – disse o Cuquedo. A cobra abriu calmamente a sua grande bocarra e sibilou: – TSSSEEE TSSSEEE TSSSEEE

– Não, não, não…
Tu não sabes assustar, não serves para casar!
E dali a pouco tempo, pôs-se de novo a cantar: – Quem quer, quem quer casar com o Cuquedo que se esconde no arvoredo prega sustos que metem medo?
Apareceu uma Cuqueda a gritar: – Quero eu, quero eu! – E tu sabes assustar? – perguntou o Cuquedo. – Claro que sim. – Então assusta lá! – disse o Cuquedo.
– BU! – Sim, sim, sim! Tu sabes assustar É contigo que vou casar! Selva acima selva abaixo andavam todos os animais assustados.
O que teria acontecido para ficarem naquele estado? O Cuquedo e a Cuqueda resolveram esconder-se no arvoredo e não parar de pregar sustos daqueles de meter muito medo.
BUUUUUUUUUUU!

.