Oportunidade de negócio e de poupar ambiente

Não desperdice o óleo alimentar usado, dê-lhe outra vida. Agora Rui da Neta recolhe o seu óleo usado em sua casa poupando-lhe trabalho e ao mesmo tempo o meio ambiente.

Rui da Neta teve, há dois anos a ideia, de recolher óleos alimentares e porque “quis dar um novo rumo a minha vida profissional, como ter a minha própria empresa sempre foi um objetivo. Comecei por visitar uma feira de franchising e, quando conheci esta atividade, porque sempre me preocupei com questões ambientais, decidi que era aquilo que queria fazer”.
A empresa Rui Neta – Recolha de Óleo alimentar, Lda. está constituída desde maio de 2012. Está ainda no princípio, porque esta é uma atividade que tem um crescimento lento, contudo “estamos no bom caminho, as pessoas estão cada vez mais sensibilizadas para a importância da recolha do óleo alimentar usado”, confessa o empresário que sublinha que a “importância em termos ambientais é enorme. Primeiro porque a recolha deste resíduo impede a contaminação dos solos e lençóis freáticos, estima-se que um litro de óleo possa poluir um milhão de litros de água, isto quando é despejado ao ar livre. Quando é despejado pelo cano, destrói canalizações e os filtros das ETAR’S. Depois a sua recolha e tratamento permite que o óleo, através da sua reciclagem, tenha outra vida, como por exemplo a transformação do óleo em biodisel, vernizes, tintas, sabonetes, batons, etc.
A empresa Rui Neta – Recolha de Óleo alimentar, Lda. começa por deixar uma barrica devidamente limpa no sítio de recolha, deixando afixados todos os certificados exigidos por lei. A barrica quando cheia de oleo alimentar usado é recolhida efetuando-se a filtragem ao óleo para eliminar resíduos, seguidamente o óleo é levado para uma fábrica onde é transformado.
Nesta entrevista a O Almeirinense Rui da Neta revela que “em casa, quando se utiliza óleo alimentar, deve-se depois de usado, colocá-lo dentro de um recipiente, como uma garrafa ou garrafão plástico, fechá-lo bem, e depois ou enviar-nos uma mensagem (969 147 917), ou depositá-lo num oleão. Até porque estamos a tentar acordos no sentido de tratarmos da recolha e limpeza desses óleões”.
Rui da Neta acredita que, no futuro, as pessoas terão mais cuidados com este tipo de material se houver recolha frequente: “Acredito profundamente, até porque uma das muitas acções de sensibilização que desenvolvemos, é precisamente junto das gerações mais novas tentando sensibilizá-las para estas questões ambientais, demonstrando o mal que fazem ao planeta ao não reciclar. Estou muito satisfeito porque vejo o seu entusiasmo e o quanto levam a sério estas questões.

.