Henrique Leonor Pina expõe na Galeria Municipal

Nasceu em Almeirim 1930, onde passou parte da sua infância pois acompanhou os seus pais em trabalho por Montemor-o-Novo e Évora. Foi nesta cidade que terminou o ensino secundário e o Magistério Primário, aí casou e com 20 anos regressou à sua terra natal como professor primário.A necessidade de emprego não invalidou a sua vontade inquebrantável de prosseguir os estudos no ensino universitário que concretizou como trabalhador estudante: matriculou-se em Direito mas, logo depois, o seu gosto pela História falou mais alto vindo a licenciar-se em Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi chefe de departamento de Recursos Humanos na empresa “Efacec” em Estarreja/Porto transferindo-se depois para Santiago do Cacém e Lisboa. Nas suas férias, passadas em Évora, dedicou-se com paixão à descoberta, estudo e escavações de monumentos megalíticos da pré-História (Antas, menhires e Cromleques) da região alentejana, em trabalhos de campo que implicavam a constituição de equipas e estreitos contactos com pastores e trabalhadores rurais.Nos anos 70 voltou a lecionar no ensino secundário em Lisboa, na Escola Técnica Machado de Castro e Liceu MªAmália Vaz de Carvalho.

Homem de cultura, democrata e cidadão intervenienteDesde jovem foi leitor compulsivo e sedento de conhecimentos,sensível às desigualdades e injustiças sociais. Com um elevado sentido cívico foi oposicionista e resistente à ditadura salazarista. Enquanto professor em Almeirim deixou nos seus alunos uma abertura de ideias inovadoras e pouco habituais. Em 1957 quando decorria a campanha eleitoral para a Presidência da República convidou os seus alunos a saudarem o Gen.Humberto Delgado, candidato da oposição à ditadura, quando este passou por Almeirim sabendo que os resultados eleitorais viriam a ser falsificados pelo regime da opinião única. Foi um momento de grande euforia e esperança popular que perpassou por todas as gerações até aos mais jovens.

Homem criativo de letras e artes Pelo outono da idade mostrou a sua jovialidade intelectual e criativa escrevendo “Os Papéis de S.Roque”, romance histórico passado em Almeirim cuja edição(2005), apoiada pelos seus antigos, alunos esgotou em pouco tempo. E agora surpreende-nos com a sua pintura, faceta criativa de artista plástico, guardada na sua intimidade e desconhecida de todos. Dir-se-ia que “nunca é tarde…” e temos agora a possibilidade de apreciarmos a sua Pintura na exposição patente na Galeria Municipal de Almeirim entre 12 Abril e 3 Maio 2014.

.