Armando Cardoso condenado a 11 anos prisão. Conforlimpa fecha em Almeirim

O Tribunal de Vila Franca de Xira condenou, esta sexta-feira, Armando Cardoso a 11 anos e dois meses de prisão por associação criminosa e fraude fiscal qualificada superior a 42 milhões de euros.

O coletivo de juízes, presidido por Sílvia Costa, aplicou o ex-presidente da empresa Conforlimpa a seis anos e oito meses por cada um dos crimes (associação criminosa e fraude fiscal qualificada), tendo decidido condenar o arguido, em cúmulo jurídico, a uma pena única de 11 anos e dois meses de cadeia, mantendo-se na situação de prisão preventiva.

O economista Germinal Rodrigo e o contabilista José Peixinho foram condenados a cinco anos e quatro meses por cada um dos dois crimes. Em cúmulo jurídico, o tribunal decidiu condenar os dois arguidos a uma pena única de sete anos de prisão.

No mesmo dia desta decisão, O Almeirinense conseguiu apurar que que os trabalhadores da Conforlimpa em Almeirim já foram informados que a empresa vai fechar. Perto de 30 pessoas vão perder o emprego no prazo de uma semana a quinze dias.

Com Correio da Manhã

.