Secretario de Estado inaugura linha de produção em Alpiarça

Foi inaugurada na manhã deste sábado 28 junho a nova linha de fabrico da Monliz em Alpiarça, esta fabrica de congelados com este novo espaço possibilitou a criação de 45 novos postos de trabalho.

O diretor da fabrica, Mauro Cardoso, recebeu o presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, Mário Pereira e o secretário de estado da agricultura, José Diogo Albuquerque.

Este dia também foi comemorado pela Monliz como o dia do Agricultor, e devido a isso juntou agricultores de vários pontos do pais e também alguns do sul de Espanha, durante todo o dia foram feitas visitas guiadas as instalações e realizou-se um almoço convívio.

Este investimento de 18 milhões de euros, permitiu que a fabrica Monliz ultrapassasse os 200 empregados, tornando-se o maior empregador do concelho.

Mauro Cardoso diretor da fabrica informou que a produção nacional não chega e precisam de importar muitos vegetais de Espanha, o que os prejudica em relação aos concorrentes Espanhóis, uma vez 78% da produção da Monliz é exportada para 26 países.

O presidente da Câmara municipal de Alpiarça, Mário Pereira, deixou alguns recados ao governo aproveitando a presença do governante, e indicou que esta fabrica que já existe no município a 10 anos é a principal empregadora do concelho e que é uma grande ajuda na fixação de pessoas, uma vez que sem trabalho as pessoas não se fixam nas localidades do interior do pais, referiu também a falta de acessos, nomeadamente a necessidade urgente da conclusão do IC3 entre Almeirim e o Entroncamento, uma vez que esta região é das melhores do pais na produção agrícola mas sem bons acessos as empresas não se fixam, alertou ainda da necessidade de apoiar os pequenos agricultores que não conseguem escoar os seus produtos devido a falta de associativismo e que essa deveria ser o futuro das políticas agrícolas  e dos incentivos governamentais.

O secretário de estado da agricultura, José Diogo Albuquerque, gostou de ver que o projeto está a correr bem e a expandir-se, afirmou ainda que existe margem para produzir mais em Portugal e que os próximos incentivos governamentais vão nesse sentido. No futuro o governo só quer criar medidas de apoio a quem estiver associado, é necessário criar associações de agricultores que trabalhem bem o objetivo é aumentar a produção e baixar a importação. Para o governo também é importante que quem trabalha a terra veja as suas margens aumentadas e que o custo da distribuição não seja imputado ao agricultor como acontece atualmente com algumas superfícies comerciais.

.