Bar na Zona Norte abre em breve

O espaço conhecido como “Clorofila” no parque da Zona Norte tem a abertura marcada em breve, Carlos Henriques afirma que depois de passados dois anos do concurso público as obras estão perto de ser concluídas e surgirá um novo conceito de grupo El Galego.

Carlos Henriques vê em Almeirim um novo desafio para o grupo El Galego, por ser próxima de Santarém e ter um espirito jovem, “sendo eu uma pessoa muito bairrista e que nunca saiu muito daqui, acho que devemos investir e desenvolver a nossa zona e aquela que poderemos conhecer bem, sei que é uma cidade jovem e se está desenvolver, com um Presidente de Câmara jovem e com vontade de fazer coisas novas e sinto que poderá ser aliciante experimentar abrir algo em Almeirim.”

Decidido a abrir o espaço desde que há dois anos ganhou o concurso público, mesmo sabendo da notória degradação, manteve sempre o contacto com a autarquia, “a Câmara Municipal de Almeirim garantiu que faria algumas obras e também algumas mudanças para eu me estabelecer, não sei bem de quem foi a culpa mas fui sempre tendo contacto o Dr. Pedro Ribeiro na altura como vice-presidente”. Agora com o novo executivo camarário a promessa da abertura está mais próxima, “ainda há cerca de quinze dias atrás falei com o Sr. Presidente que me comunicou que já tinha em sua posse todos os orçamentos para completar e avançar com as obras, penso aliás que as obras já terão começado a grande velocidade”.

Nascido e criado na Póvoa de Santarém foi na sua terra que Carlos Henriques começou O El Galego. O nome dos seus estabelecimentos surge a partir da sua descendência galega, nomeadamente a sua bisavó era natural da Galiza, ficando depois a família conhecida pela família Espanhol. Começou a sua primeira atividade como cortador de carnes com 15 anos no mercado de Santarém, depois da tropa criou o seu próprio negócio, “com 21 anos abri o talho El galego, na Póvoa de Santarém. A determinada altura apareceu a restauração que serviu de complemento ao talho sendo que há cerca de cinco ou seis anos quando Santarém começou a ser remodelado houve vários concursos públicos aos quais comecei a concorrer e consegui ganha-los.” Abriu primeiro o Lounge no Jardim da República depois a cafetaria em Vale de Estacas e mais tarde o restaurante no complexo aquático em Santarém, “a partir daí foram surgindo outras oportunidades com conceitos diferentes”, conta Carlos Henriques.

 

 

.