Câmara e funcionário sem acordo em tribunal. Sentença conhecida em novembro

A audição de testemunhas terminou, esta quarta-feira, no julgamento do caso do actual chefe da contabilidade da Câmara de Almeirim contra o município no Tribunal Administrativo de Leiria.

Sousa Gomes e Rosa Nascimento que tinham sido indicados para testemunhas do funcionário acabaram por ser retiradas desse rol, o que também aconteceu com outras figuras da vida política almeirinense, casos de Manuela Cunha, Joana Vidinha, José Carlos Silva ou Armindo Bento.

Ao que apuramos, numa das ultimas sessões foram ouvidos o atual Presidente da Câmara, Pedro Ribeiro, e ainda a vereadora Emilia Moreira.

O processo tem oito anos, e João Evangelista considera que foi colocado na “prateleira”, sem funções, pelo ex-presidente Sousa Gomes. Curiosamente, Sousa Gomes pouco antes de terminar o mandato, tinha nomeou João Evangelista como chefe da contabilidade.

Evangelista pede 136 mil euros de indemnização por danos morais e patrimoniais. O agora chefe da contabilidade reclama também reconstituição da carreira e reposição da avaliação.

Depois de falhadas as tentativas de acordo e ouvidas todas as testemunhas, a sentença será conhecida em novembro.

.