Águas do Ribatejo tem o modelo de gestão mais favorável aos clientes

O Modelo de Gestão da Águas do Ribatejo “é o mais amigo dos clientes e o que melhor defende os interesses dos cidadãos”. Esta foi uma das conclusões da participação dos presidentes das Câmaras Municipais de Benavente, Carlos Coutinho, e de Almeirim, Pedro Ribeiro na Conferência Nacional da Água que decorre a 18 e 19 de novembro em Lisboa

Os autarcas intervieram no “Grande Debate: Soluções para a Reestruturação Territorial dos Sistemas em Baixa” que contou com quatro exemplos diferentes de gestão no setor na manhã de terça-feira. Poças Martins, moderador do debate, fez o quadro comparativo que permitiu concluir que o tarifário da AR é o mais económico na água e no saneamento, sendo o valor médio da fatura para uma família tipo de 3 pessoas, com um consumo de 10 m3 mensais, na ordem dos 13 euros.

Carlos Coutinho, vogal do Conselho de Administração da empresa municipal Águas do Ribatejo, acredita que o modelo da empresa pode ser um exemplo para o país já que defende a água como bem fundamental, mantendo um sistema que é determinado pela vontade dos municípios e seus eleitos na defesa dos superiores interesses da sua população.
Pedro Ribeiro, edil de Almeirim manifestou a vontade dos autarcas blindarem os estatutos da empresa á entrada de privados, respondendo assim à possibilidade de haver interessados na aquisição da Águas do Ribatejo. O autarca sublinhou a “enorme” solidariedade existente entre os municípios integrantes que permitiu que todas as decisões fossem tomadas por unanimidade. “ Em cinco anos, investimos 110 ME, nos sete municípios, mantendo um tarifário socialmente equilibrado e justo”, referiu o Presidente da Assembleia Geral da AR para enfatizar os méritos de um projeto que gerou “muitas desconfianças e mau estar”.
O modelo da AR é um modelo inovador no que diz respeito à verticalização do sistema de água e saneamento. Garante o abastecimento de água desde a captação à entrega em casa do consumidor e a recolha e tratamento de águas residuais, explicou Carlos Coutinho, vogal do Conselho de Administração da Águas do Ribatejo que sublinhou os resultados positivos de todos os exercícios nos cinco anos de atividade da empresa. “Os municípios prescindem dos dividendos que são aplicados em investimento e na ampliação do universo de clientes abrangidos com o tarifário social”, concluiu.

A 9ª Expo Conferência da Água, decorre no Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa, esta terça e quarta-feira, 18 e 19 de Novembro com mais de duas centenas de especialistas nacionais e internacionais. O ministro do Ambiente e Ordenamento do Território, Jorge Moreira da Silva, encerra a Conferência esta quarta-feira.

.