Trail de Almeirim em “marcha”. Preparativos a alta velocidade

O Almeirinense: Como surgiu a possibilidade de criar “uma subsecção” de trail na Associação 20 km de Almeirim?
Omar Garcia: Apesar de eu e o Valter Escrevente já termos criado um grupo que se juntava em treinos e provas, os The Night Trail, onde a curto prazo passaria pela criação de uma equipa oficial, a ideia de criar esta subsecção de trail veio do Daniel Leandro, treinador e dirigente da secção de atletismo que enquadra a Associação 20 km de Almeirim, uma vez que já existia um elevado numero de atletas a praticar esta vertente do trail.
Uns corriam já pela A20KM, outros a titulo individual, enquanto por exemplo eu corria pela Casa do Benfica de Abrantes. Porque não juntar todos numa só equipa?

De onde vem esse gosto pessoal pelo trail?
Para ser sincero e começando do principio, sempre detestei correr… já desde a infância. Nas aulas de educação física, era a parte que mais me custava… apesar de ser sempre o mais rápido. O meu pai corre à quase 30 anos e sempre me tentou incutir esse gosto, mas respondia-lhe sempre: “correr atrás do que?”. Assim fui fazendo outros desportos, dos quais o que mais me agardou foi o BTT. Este aliava bicicletas ( outra paixão minha ) e a natureza, a qual sempre tive forte ligação desde criança. Mas passando à pergunta em si, à 2 anos sensivelmente comecei a correr apenas para manter alguma preparação física, 2 meses depois aliciaram-me em participar numa prova de estrada ( as 3ª Léguas do Nabão em Tomar ). Fi-la, gostei da vertente e da competição ( sou bastante competitivo, principalmente comigo próprio ). Alguns meses depois convidaram-me a participar numa prova de trail, não sabia o que era, mas se era para correr e no meio da natureza, resolvi experimentar a Trail.
Fiquei automaticamente viciado!
Juntava tudo o que eu gostava! Natureza, correr, subir, descer, adrenalina ao máximo, diferente de tudo, testando o corpo humano. É um teste à resistência humana, a procura dos nossos limites, uma superação pessoal.

Que tem de mais fascinante que a estrada?
Oh… sou um defensor extremo do trail! Quem me conhece sabe disso perfeitamente. Detesto estrada, para mim é monótono treinar em estrada, fazer provas em estrada, enfim, maçador.
Nas provas de estrada, que também tem o seu grau de exigência ( e elevado ), na minha mente apenas penso numa coisa… Mas nunca mais acaba isto?! Agora o trail… estar em contacto com a natureza… só por esse ponto, vale tudo! Chamem-me de bicho do mato se quiserem…
Passamos por sítios de beleza inigualável, mesmo cá em Portugal, as pessoas não sabem a beleza que o nosso pais esconde, mas eles estão ai, à espera de nós, ali ao virar da esquina muitas vezes. E depois é o desafio em si, a adrenalina, a paz interior que eu consigo tirar da natureza. Ou seja, um misto de emoções, estado de espírito que o trail me dá. E ainda há o ambiente que se vive numa prova de trail, as amizades que se criam. Não é que não haja competição, porque há, mas é uma concorrência mais aberta digamos.
Por exemplo: se houver um atleta que se aleije numa prova de trail, paramos, prestamos ajuda, vamos com o outro atleta até ao próximo ponto onde a organização/bombeiros estejam ou até mesmo à meta. Na estrada não, sendo uma prova rápida, não existe esse sentimento de ajuda. Somos nós, apenas nós.

Para si é mais duro e exigente?
Em termos físicos, para mim, o trail é muito mais exigente, duro sim. Não digo que as provas de estrada não o sejam também, porque são, mas diferem bastante.
Na estrada as provas são rápidas, de duração curta ( tirando a maratona claro, mas mesmo esta é rápida para quem consegue, claro ), sempre com a respiração como se o coração estivesse a sair da boca, onde apenas vemos a meta.No trail, a preparação física que temos que ter é diferente e muito. Aqui não se trabalha muito com a distancia apenas, mas também com a altimetria. O que subimos e descemos nas montanhas/serras, faz mais a diferença que a distancia percorrida propriamente.
Por exemplo, uma maratona de estrada que são 42.2k sensivelmente, o tempo percorrido para um atleta de velocidade normal está perto da 3 horas, enquanto que percorrer a mesma distancia em trail, o tempo pode variar muito, indo desde as 5h às 6h ou mais ainda.
Para nos preparamos para esta modalidade de corrida, o treino passa muito por ginásios, bicicleta, rampas, escadas, series, exercícios funcionais e por ai fora.
As adversidades que podemos ter pela frente são inúmeras e diversas, para não falar na chuva, calor, frio, nevoeiro, animais, desidratação, hipotermia, fome, ou até mesmo a parte de nos pudermos perder em sítios que não conhecemos.
Mas mesmo assim, com todas estas adversidades, continuo a preferir o trail à estrada, ou até mesmo a outro tipo de desporto.És tu e a Mãe Natureza, que pode ser bela ou a mais terrível adversária.

Em Almeirim já se formou um grupo que até faz provas com alguma regularidade?
Desde meados de 2013 que começou-se a juntar um grupo pequeno, mas consistente, de atletas que fazem trail/estrada de Almeirim e redondezas. Dai a criação do tal grupo que já referi, os The Night Trail. A ideia seria juntar todos 1 vez por semana para um treino conjunto de trail nocturno, dando-nos a conhecer uns aos outros, trocando assim experiencias, conselhos e ainda a possibilidade de fazermos provas também em conjunto. Foi assim que a maioria de nós nos conhecemos, através desta iniciativa.E foi assim que grandes amizades se criaram, uma vez que, apesar de sermos da mesma cidade, não nos conhecíamos.

Foi daí que nasceu a possibilidade de fazer a própria prova?
Já tenho a ideia de fazer uma prova de trail em Almeirim desde finais de 2013, mas nunca foi para a frente porque sabia que ia dar muito trabalho.Precisava de mais tempo pessoal e profissional para a preparar, tal como mais experiencia em termos de praticante da modalidade para que nada corre-se mal. Para mim, e para a restante equipa, uma prova de trail/estrada, tem que ser preparada por atletas para atletas, friso.
Ou seja, nós que corremos, sabemos o que precisamos, seja qual for a vertente de corrida que estejamos a falar.
Em trail, existem vários aspectos que impreterivelmente não podem falhar, tais como, marcações, abastecimentos, altimetria e distancia correcta, etc.
Tendo em consideração que no Conselho de Almeirim existem boas condições naturais, serra das Fazendas de Almeirim até à Raposa, e indo de encontro à nova tendência desportiva, tivemos a ideia de criar uma prova desportiva.

Como estão a correr os preparativos?
Como antecipadamente sabíamos, é algo que dá bastante trabalho. Desde a angariação de apoiantes para o evento, marcação de trilhos, abertura de novos trilhos, divulgação da prova e porá ia fora, nada pode falhar no fim de semana que se aproxima.
Mas estamos extremamente confiantes! Somos um grupo já com uma vasta experiencia em trail, onde sabemos que podemos e iremos dar um bom domingo de prova a todos. Faltam 2 meses e meio para o Trail de Almeirim, mas para nós é já amanhã!

Qual o objectivo para número de atletas?
Estamos esperançosos que o nº de atletas atinja os 500 atletas, que para uma 1ª edição é um numero ambicioso. Mas com todo o excelente trabalho que a nossa equipa está a desenvolver, é um objectivo decerto alcançável.

Vão ter diferentes percurso e níveis de exigência?
Vamos realizar de 4 provas distintas: Trail Longo – 30 kms, Trail Curto – 17 km, Trail Júnior – 4 kms e Caminhada – 8 kms.
Não temos muita altimetria na nossa zona, mas temos uns trilhos bastante rápidos e divertidos, exigentes qb., mas claro com algumas subidas e descidas deveras interessantes.
Posso afirmar o seguinte, sou bastante exigente quando participo em provas de trail e digamos que até tenho pena, e muita, de não poder participar nesta jornada.

O percurso será todo na serra das fazendas?
Maioritariamente sim, apenas o Trail Longo irá passar pela freguesia da Raposa e serra circundante até ao Vale Inferno, retornando à serra da Fazendas.

Esta é uma prova para durar no tempo ou é só umas resposta à euforia criada com o trail?
O objectivo será realizar uma prova que se destaque pela excelência de forma a realizar nos anos vindouros e quem sabe incluir no calendário do campeonato nacional da ATRP – Associação de Trail Running de Portugal.

Apesar de ainda faltar algum tempo, para a organização a prova já começou?
A prova começou no momento em que decidimos por em pratica a mesma. Todos os dias são dias de tratar de algo para que nada falhe. Os fins de semanas são divididos em treinos longos, provas, marcações de trilhos e reuniões.

O que têm feito?
De tudo um pouco como referi anteriormente. O percurso da prova de Trail Curto ( 17k ) está definido por exemplo, tal como a caminhada. Os restantes percursos estão quase também. Temos todo o apoio da Câmara Municipal de Almeirim, tal como das freguesias da Raposa e Fazendas de Almeirim, tal como outros apoiantes relevantes deste evento.

De volta ao plano pessoal, que provas pretende fazer?
Bem, este ano coloquei para mim um objectivo um pouco ambicioso, competir nos 3 campeonatos da ATRP – Associação de Trail Running de Portugal, entre outras provas de trail e estrada.Os três campeonatos são designados por Circuitos Nacional de Trail, Ultra Trail e Endurance, com distâncias completamente variáveis que vão desde as 20kms até aos 100 kms de distancia.
O ano passado consegui um 11º lugar na geral a nível nacional no Circuito Nacional de Trail, este ano gostaria de subir um pouco mais… se as pernas deixarem claro. Mas como disse, é uma objectivo ambicioso, porque compito com atletas de alta competição e grande parte deles com ajudas, sejam elas em termos de treinador e/ou patrocínios, o qual eu não tenho. Mas quando fazemos o que gostamos, não é isso que nos vai travar. Mas que esse tipo de ajudas fazem a diferença, isso fazem.

Têm objectivos desportivos no grupo e individualmente para as provas em 2015?
Os objectivos da equipa são bastante simples, vingar e elevar o nome da A20KM ainda mais alto, seja nesta vertente do trail running ou em estrada.Em pouco tempo de existência, já temos alguns prémios por equipas, uma vez que temos grandes atletas na mesma.
Como já referi antes, somos 13, e todos eles com uma enorme vontade e um gosto ainda maior pelo trail. Claro está, cada um com os seus próprios objectivos pessoais, sejam eles competitivos ou de apenas realização pessoal, mas todos com o mesmo focus para a equipa.

.