Menores de Almeirim já podem ser forcados

Numa região com fortes ligações à forcadagem, ficou a saber-se que a partir de hoje a Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) permitirá a participação de forcados, com menos de 18 anos, em corridas de toiros.

PSD, PS e CDS aprovaram esta sexta-feira um diploma que permite a menores acederem à atividade de forcado tauromáquico, mas o diploma gerou divergências nas bancadas socialista e do CDS.

O texto final proveniente da Comissão Parlamentar de Segurança Social e de Trabalho teve a oposição do Partido Ecologista «os Verdes», de três deputados socialistas (Pedro Delgado Alves, Isabel Santos e Rosa Albernaz) e do democrata-cristão João Rebelo.

Bloco de Esquerda e PCP optaram pela abstenção, opção de voto à qual se juntaram os deputados socialistas Eduardo Cabrita, Pedro Nuno Santos, Inês de Medeiros, Carlos Enes, Manuel Mota e António Cardoso.

Após a votação, em declarações agência Lusa, o dirigente socialista Pedro Delgado Alves classificou a atividade tauromáquica como sendo de risco. «No texto final não ficou devidamente acautelada a proteção de menores numa atividade de risco», referiu o ex-líder da JS.

Nuno Marques, antigo cabo dos forcados Amadores da Chamusca que lançou alguns jovens forcados, já reagiu a esta noticia:”Importante reconhecimento da essência e da importância dos Grupos de Forcados, verdadeiras academias na transmissão e fomentação dos mais nobres valores humanos tais como a humildade; honestidade; amizade; respeito; disciplina; união… Actividade de risco?? Claro que sim, mas o que é a vida senão um constante exercício de risco!? Os menores emancipados por força das sociedades modernas são aliciados diariamente a seguir caminhos de verdadeiro risco, caminhos esses que não se cruzam com a doutrina de um grupo de forcados!”

.