João Vinagre não põe “regresso de parte” e lamenta resultado das autárquicas

Nuno Duarte foi eleito presidente do CDS de Almeirim no Sábado, 14 de Março. Em conversa com o jornal O Almeirinense, o ex-presidente que agora passou a “vice”, não põe de parte um regresso à liderança do partido no futuro e lamentou o resultado das eleições autárquicas deixando algumas criticas à liderança de Pedro Ribeiro.

João Vinagre faz um balanço positivo do seu mandato à frente do CDS de Almeirim, dizendo que se registou uma “uma quase uma duplicação do número de militantes”, acrescentando ainda que “por outro lado, vi, ouvi e assisti a muitas pessoas concordarem connosco, a darem força e mesmo a ajudarem, outras só o faziam de forma mais condicionada, com receio das opiniões dos outros ou mesmo de represálias que poderiam sofrer por serem do CDS”, lamentando que não se respeitem opiniões divergentes no concelho.

Quanto às eleições autárquicas de 2013, em que o CDS concorreu em coligação com o PSD, João Vinagre afirma que “não podemos dizer que faríamos tudo igual, pois como diz o provérbio, «a água nunca passa duas vezes debaixo da mesma ponte»”, fazendo no entanto um balanço “positivo, pois no conjunto houve mais eleitos nestas eleições do que nas anteriores”, sabendo ainda assim que “poderia ter sido mais expressiva, mas a população não acreditou que as pessoas que estavam, e estão connosco, teriam em mente a melhoria das condições de vida das freguesias e concelho de Almeirim”.

O ex-lider do partido deixa ainda algumas criticas à primeira parte do mandato de Pedro Ribeiro, ao dizer que “vemos muitas atitudes semelhantes, ora são alterações de sentido ou colocações de sentidos únicos em ruas com espaço para fluir tráfego normalmente nos dois sentidos (pois este foi motivo usado para alterações em mandatos anteriores), ora é lombas que surgem quase do dia para a noite, sendo deixadas sem sinalização temporária de aviso aquela alteração, só para falar em alguns exemplos”. Ainda assim, João Vinagre coloca já os olhos nas eleições de 2017.

Quanto ao futuro, Nuno Duarte foi eleito agora para um mandato de dois anos, com João Vinagre como vice-presidente, mas o ex-líder diz que “nunca posso dizer, que o regresso esta posto de lado, não seria justo comigo e principalmente para com as pessoas que fizeram parte das duas Comissões Políticas que liderei e muito me ajudaram”, dizendo para já que o seu “principal foco neste momento é a minha família, os estudos e o trabalho”, mantendo no entanto os outros cargos que ocupa no partido, “na Comissão Política Distrital e no Conselho Nacional”.  

.