Águas do Ribatejo assina protocolo de segurança com a PSAT

Foi assinado esta terça-feira, dia 24 de março, um protocolo entre a Águas do Ribatejo e a PSAT (Associação para Promoção da Segurança de Ativos Técnicos) que visa o reforço da segurança nas infraestruturas e equipamentos fundamentais da empresa.

A Águas do Ribatejo registou nos últimos três anos mais de 300 mil euros de prejuízos nos sete concelhos onde presta serviço devido a furtos e atos de vandalismo, a empresa recorda o furto de uma viatura e o seu equipamento em Almeirim que teve um custo total de 20 mil euros. António Oliveira, Presidente do Conselho de Administração das Águas do Ribatejo, afirma que se "pretende minimizar furtos à empresa de maneira a que não se ponha em causa o abastecimento às populações".

António Chaleira, PSAT, diz que para os associados "algumas das tecnologias são necessárias" e de seguida fez um apelo às entidades de justiça afirmando que "as medidas que vamos implementar não funcionam se a investigação e a justiça não funcionar", refutando que o que está em causa é um serviço público prestado às populações. 

A PSAT no futuro irá organizar ações de formação de preservação de prova para os funcionários da empresa, implementar um conselho informativo e ainda um sistema de ocorrências a nível nacional. 

A PSAT é uma entidade de direto privado, sem fins lucrativos criada em 2011, pensada com o objetivos de aumentar a segurança de pessoas e bens em equipamentos e infraestruturas, reduzir furtos, roubos e atos de vandalismo em espaços públicos que sejam mais vulneráveis devido à sua localização e características. A Associção teve como sócios fundadores a EDP Distribuição, PT, REFER, EDP Renováveis, EPAL e a REN. 

.