Assinalam-se hoje 54 anos da apresentação do Rancho Infantil de Almeirim

Venho hoje recordar 1961, na apresentação do Rancho Infantil de Almeirim, no dia 23 de Abril. Aquele pequeno e consagrado grupo de crianças com idades compreendidas entre os 4 e 10 anos, iriam fazer as delícias de muitos com o seu ar gracioso, dançando as modas do antigamente. Vestidos a rigor imitando os mais velhos de 1956, no Ran-cho Folclórico da Casa do Povo também já aparecido, estes apadrinharam (e de que maneira) o seguimento daquela geração. Pequenos grandes génios (e “austemíveis” palavras do Amaro Rato), fomos nós, crianças apelidados pelo povo de Almeirim pela maneira de estar e que seria para muitos uma inveja. A partir do momento em que pisávamos o palco para qualquer actuação, a nossa mente e personalidade era de imediato alterada, tínhamos centenas ou mesmo milhares de olhos que nos fixavam e por isso a responsabilidade de representar o que tínhamos de fazer. Era mágico, transformador, a idade era superada. Vergonha? Não. E a vaidade era superada pelo sentido de responsabilidade a partir do toque da cana para o espectáculo começar. Ficávamos à mercê de nós mesmos…pequenos (grandes) profissionais. Recordo que não era necessário qualquer reparo do ensaiador ou mesmo de algum responsável para corrigir qualquer infantilidade nossa. Éramos pequenos e responsáveis. O nome de Almeirim estava em jogo e a dignidade de todo um grupo de trabalho que nos conduzia para o estrelato!

 

Augusto Gil

.