PROMARTUR premiada Melhor Animação Turística

João Diogo, gerente da Promartur, recebeu O Almeirinense, num dos seus barcos a que carinhosamente chamou de escritório, pois a partir da primavera é onde passa grande parte do seu dia. Foi sob o suave ondular das águas do Tejo e com uma magnífica paisagem a rodear, que o empresário falou um pouco da sua vida, da história da Promartur e do reconhecimento feito à sua empresa recentemente.

Porque decidiu criar há 25 anos uma agência de viagens e não outro negócio?
Tudo começou porque explorei durante alguns anos um parque de campismo e fui diretor de uma pousada no Algarve. Tendo algum conhecimento de como se processam as coisas neste meio, decidi criar o meu próprio emprego e dar emprego (atualmente tenho nove colaboradores). Em Marinhais de onde sou natural e resido, fazia falta uma empresa deste género, e tinha de criar algo diferente, onde o cliente viesse ter comigo e sentisse que podia confiar em mim e nos serviços que eu disponibilizo.

O seu público-alvo é dos arredores?
O grosso dos meus clientes é de Lisboa, Setúbal, mas tenho clientes de cá, de Santarém, de Almeirim, Coruche, e até internacionais: os dinamarqueses, polacos, brasileiros e até os alemães que podemos assistir à visita que estão a fazer.

O que costuma promover aos seus clientes?
Eu promovo tanto Portugal, como o estrangeiro. Tento sempre ir de encontro aos gostos e possibilidades dos meus clientes. A Promartur é especializada em grupos. Disponibilizo todos os pacotes e trabalho com os melhores operadores. Tenho uma frota de autocarros própria (com média de seis anos) e os autocarros têm capacidade que vai de 8, 19, 22, 51 e 55 lugares. Somos uma empresa certificada pela IATA e emitimos bilhetes de avião. O projeto Cruzeiros no Tejo – Rota do Escaroupim e da Cultura Avieira, prémio atribuído pelo Turismo do Alentejo – Ribatejo, ERT tem sido um projeto que tenho insistido pois é maravilhoso
o que temos tão perto e as pessoas não conhecem. Tenho estes dois barcos mais ou menos há dez anos e sinto que foi uma boa aposta! Proporcionamos-
lhe um desafio inesquecível em redor da fauna e da flora do rio, onde a beleza natural surpreende o visitante. Poderá observar uma grande variedade de plantas e animais no seu habitat. Garças, cegonhas, corvos, galinholas, patos bravos, águias, touros e o cavalo lusitano em total liberdade. Pode admirar os Salgueiros, os choupos e os arbustos que ao longo das margens do rio, nos dão um colorido ímpar. Em seguida, podemos passar pela Praia Doce, Palhota e Escaroupim, com as casas palafitas, os barcos dos pescadores, o Museu dos Avieiros e, ainda, pode deitar um olhar pela ilha dos Pássaros… Mais a frente, Valada do Ribatejo, que vista à distância, a aldeia é um tapete de casinhas brancas, na frescura da margem e na beleza das coisas simples… a igreja, a marina, os barcos…e ao fundo a Ponte D. Amélia. Então, se a maré deixar navegaremos mais além… no meio da água, de ilhotas e mouchões, garanto que será uma viagem inesquecível.

Qual o balanço que faz da sua empresa?
Já tivemos diversos ciclos ao longo do tempo. A crise foi um factor negativo, mas se formos sérios, conseguimos ultrapassar tudo. O que mais me orgulho é que podem passar ao meu lado, seja onde for e não terem nada para me apontar.

.