Alunos voltam à ETAR para estudar tratamento de “esgotos”

A Estação de Tratamento de Águas Residuais-ETAR de Almeirim/Alpiarça é um equipamento imprescindível na proteção dos ecossistemas existentes nos dois concelhos. Esta foi uma das conclusões dos alunos do 8ª ano do Agrupamento de Escolas de Almeirim que visitaram a infraestrutura esta quarta-feira, 27 de maio com o objetivo de perceber o processo de tratamento e o impacto nas linhas de água existentes na região. Até ao final do ano letivo todos os alunos do 8ª ano de Almeirim irão visitar o equipamento.

A visita integrada no plano de atividades da disciplina de Ciências Naturais pretende fazer um levantamento dos fatores abióticos e a sua influência na dinâmica dos ecossistemas. Os estudantes estão a avaliar o modo como a poluição e as invasões biológicas afetam o equilíbrio no ecossistema.

A ETAR Almeirim/Alpiarça é uma das maiores do universo da Águas do Ribatejo e a sua requalificação em conjunto com as obras em todo o sistema de saneamento custaram mais de 4 ME. Os dois concelhos dispõe de tratamento de saneamento para mais de 90% da população com um dos sistemas mais modernos usados na União Europeia.   

A ETAR está preparada para receber os esgotos recolhidos em fossas sépticas e as águas residuais provenientes de unidades industriais e agro-industriais mediante autorização da AR  e controlo analítico prévio. 

A ETAR implementada numa área de 18 ha (equivalente a 18 campos de futebol), é contígua a uma zona de Reserva Natural no Paul da Goucha, Alpiarça. Nessa ETAR com cinco lagoas, duas delas anaeróbias e de grande dimensão, nidificam várias espécies de aves e existe uma vegetação variada .

O Sistema de Tratamento dos “esgotos” de Almeirim e Alpiarça é feito com um processo de biomassa suspensa em lagonagem. Após a maturação a água residual entra num microtamizador para afinação das cargas de sólidos em suspensão, sendo a desinfeção final feita por Ultra Violeta. As lamas que resultam do processo são encaminhadas para valorização agrícola e a água limpa e tratada é encaminhada para a Vala de Alpiarça que vai desaguar ao Rio Tejo.

.