“Sinto-me feliz com a vitória do PS em Alpiarça”

Primeiro que tudo, que análise faz o Partido Socialista do resultado eleitoral das últimas eleições legislativas?
Miguel Sá Pereira(Presidente Concelhia PS Alpiarça): O PS apresentou-se às eleições com uma agenda clara, assente em ideias e propostas realistas, sem populismos e promessas de última hora, apresentou – se com um programa que resultou de um trabalho de rigor traduzido num compromisso que apresentou aos Portugueses. Os Portugueses decidiram retirar a maioria absoluta à Coligação de Direita a quem cabe diligenciar no sentido de garantir um governo estável.

O que terá contribuído para este bom resultado do PS em Alpiarça?
A confiança em António Costa, a mobilização que a sua candidatura gerou e que nós Secretariado, bem como muitos Militantes e Simpatizantes, procurámos representar na nossa Terra. Quando António Costa apresentou a sua candidatura às primárias, que tiveram lugar em setembro de 2014, surgiu em Alpiarça, agregado a esta candidatura, um movimento de apoiantes, Socialistas e Independentes, intitulado “Alpiarça está com António Costa” que agregou muitos independentes que se tinham afastado do combate político pelas mais diversas razões. Foi o perfil de António Costa e as inúmeras qualidades que lhe são reconhecidas, nomeadamente a competência e a honestidade, que levou a população a Confiar no projeto que Costa apresentou ao país.  Enquanto Coordenador do Secretariado sinto – me muito satisfeito porque conseguimos uma vitória do PS em Alpiarça, agradecendo o empenho do Secretariado e de todos os Camaradas e o empenho e alegria da JS e do seu Coordenador Rodolfo Colhe. Ao nosso lado estiveram os atuais Autarcas como Pedro Gaspar e Fernando Ramalho, mas também e com muito orgulho Ex – Autarcas da nossa Terra cuja colaboração foi fundamental, dos quais permita – me destacar Vanda Nunes, Vera Noronha, Marques Pais, Josué Cavalheiro, Paulo Espirito Santo, Luís Garrotes, Carla Raposo entre outros Camaradas e Simpatizantes.
Com os Camaradas e Independentes que estiveram ao nosso lado, com o apoio excelente da JS de Alpiarça, foi possível “ir para a rua” e divulgar a mensagem de Costa e ganhar. Nas ações de campanha que fizemos, tivemos a honra de receber duas vezes em Alpiarça, o Cabeça de Lista por Santarém Dr. Vieira da Silva. Privilegiámos o contacto com a população e é assim que queremos continuar.

Não foi estranho mesmo depois do episódio Sónia Sanfona?
Não porque a lista de deputados só existe quando é anunciada pelo Secretariado Nacional.

Já está ultrapassada essa questão?
Esta questão para o PS de Alpiarça nunca existiu.

Entende que este resultado possa ser visto como uma derrota da CDU Alpiarça?
Este resultado é uma vitória das pessoas em primeiro lugar, uma vitória que muito orgulha o PS de Alpiarça.
É uma Vitória Histórica, porque é a primeira vez que o PS sendo oposição a nível municipal, ganha eleições em Alpiarça.
Mais importante do que considerar uma derrota da CDU, é reforçar que se tratou de uma vitória de todas as pessoas que acreditaram neste projeto de mudança.
Estamos gratos aos Alpiarcenses pela Confiança que manifestam em António Costa e faremos o que deve ser feito para honrar essa confiança.

Isto dá esperança para as eleições autárquicas de daqui a dois anos?
Além de esperança dá-nos muita responsabilidade.
O PS é um Partido de Governo, quer a nível Nacional quer a nível Local e quem veste a camisola tem obrigação de tudo fazer para honrar este espírito ganhador.
Este Secretariado, em conjunto com pessoas que acreditaram que era possível inverter a tendência de derrota em que o PS de Alpiarça mergulhou em 2009, irá continuar a trabalhar para apresentar aos alpiarcenses uma candidatura credível.
Em 1997 fizemos História quando o Dr. Rosa do Céu criou em torno do PS um movimento de cidadãos “Alpiarça é a Razão” que levou à derrota do PCP que governara a Autarquia desde o 25 de Abril de 1974.
Durante 12 anos de mandato e até 2009, o PS imprimiu em Alpiarça uma dinâmica de desenvolvimento nunca antes vista.
Em 2017 com as pessoas certas podemos aspirar ao lugar que o PS/Alpiarça é a Razão nunca devia ter desistido de assumir.

Mas antes ainda há presidenciais?
As Presidências são eleições diferentes como todos nós sabemos. O que está em causa aqui é a eleição de uma pessoa e não de um Projeto Político.

Que tipo de trabalho tem feito o PS em Alpiarça?
Desde que esta equipa assumiu o secretariado o nosso trabalho tem quatro grandes objetivos:
1º – Crescer o PS de Alpiarça em número de militantes, ou seja passar dos 25 militantes ativos em 2013 para um número perto de 100 em 2017.
Nestes dois anos conseguimos mais do que duplicar, sendo neste momento 57 ativos.
2º – Renascer o Movimento Independente que muito trouxe ao PS. Foi graças ao apoio destes independentes que o PS Governou a Autarquia entre 1997 e 2009.
É com muito agrado que pessoas do chamado núcleo forte do “Alpiarça é a Razão” deram a cara pelo movimento “Alpiarça está com António Costa”.
3º – A JS. Num Concelho como o nosso uma Juventude Socialista ativa e dinâmica é essencial. Eles são um pilar muito importante na luta Política.
Hoje temos uma JS ativa e com toda a certeza irá crescer.
4º – Criar condições para voltar a ser um Partido vencedor em Alpiarça.
No passado dia 4 de outubro tivemos o primeiro fruto desse trabalho, que pretendemos continuar e melhorar.

Num concelho que tem a imagem de população envelhecida, a aposta num jovem no PS local é para atingir um novo eleitorado?
Não se tratou de uma aposta, mas antes uma inevitabilidade, porque após os resultados autárquicos de 2009 e depois de 2013 foram muito poucos os que se mostraram disponíveis para assumir o cargo.

Era preciso renovar o PS Alpiarça depois da marca que deixou na gestão autárquica com Rosa do Céu?
Sem dúvida, defendo isso desde a primeira hora, mas sem nunca esquecer os simpatizantes que nos podem ajudar e ensinar.
O PS deve ter nas suas fileiras pessoas disponíveis para dar continuidade ao trabalho que se fez no passado.
Rosa do Céu, Vanda Nunes, Vera Noronha, Marques Pais e outros Ex – Autarcas no Executivo, na Assembleia Municipal, na Junta de Freguesia, deixaram uma marca de desenvolvimento que está à vista de todos.
Estamos empenhados em trabalhar em prol do nosso concelho, unidos a todos os Alpiarcenses que partilhem os nossos objetivos de desenvolvimento de Alpiarça.
As pessoas são o mais importante.

A CDU acusa muitas vezes o PS de ter deixado uma herança pesada. Porque discorda desta tese?
A CDU acusa o PS de ter deixado uma herança pesada, esquecendo-se que em 1997 o PS encontrou a autarquia cheia de dívidas e sem obra feita. Ao contrário, em 2009 o Município tinha um conjunto de infraestruturas conseguidas com projetos financiados com fundos comunitários, que o PS enquanto Poder soube aproveitar. O que o PS deixou foi investimento e desenvolvimento, nas Escolas, na Cultura, no Turismo, na Economia Local procurando gerar Emprego no apoio às Empresas que ajudou a fixar em Alpiarça. Ao contrário, assistimos atualmente à incapacidade de gestão da CDU, que se desculpa com a dívida para justificar a sua inércia.
Como exemplos cito apenas:
1. O encerramento da Fábrica RENOLDY, onde o Executivo nada fez para inverter a situação, ao contrário do que aconteceu no final do terceiro mandato do PS;
2. A poluição da Barragem dos Patudos, que continua sem solução à vista;
3. A degradação do Estádio Municipal;
4.O modo leviano como foi alterado o projeto dos arranjos exteriores da Casa Museu dos Patudos com o resultado que se vê;
Em simultâneo canalizam-se as poucas verbas existentes para obras como o Polidesportivo do Casalinho, onde certamente existem outras prioridades.

E onde se coloca o Presidente da Concelhia em todos os diferendos que marcam Assembleias Municipais e até Reuniões de Câmara?
Como espetador atento, uma vez que não tenho por hábito participar em “festas” para as quais não sou convidado.

Esperava mais de Mário Pereira?
Só uma pessoa muito desatenta poderia esperar mais, portanto não me surpreende.

Onde se tem trabalhado bem?
Sinceramente não consigo enunciar nada.

E menos bem ou mal, no seu entender?
Muita coisa havia a referir, mas saliento apenas uma situação que denunciámos e fomos acusados de populismo.
Trata-se da denúncia que fizemos à Federação Portuguesa de Triatlo referente à utilização da Barragem dos Patudos para uma prova com dezenas de atletas, cuja água está imprópria para banhos. Fomos acusados pelo Dr. Mário Pereira, Presidente da Câmara Municipal, que disse que o PS não se preocupava com as pessoas e com o bom nome da nossa terra. Ficou-lhe mal, e o tempo veio provar que o PS tinha razão e atualmente devido à poluição da água da Barragem não é permitida a sua utilização para este tipo de provas, por questões de Saúde Publica.

O PS quer daqui a dois anos reconquistar a CM Alpiarça?
Claro que sim. É com esse objetivo que continuamos diariamente o nosso trabalho, a bem do futuro do nosso Concelho.

Poderão apresentar um candidato independente?
Todos os cenários são possíveis. Temos o privilégio de contar com pessoas de grande mérito que têm capacidade para trabalhar na defesa do nosso Concelho, como atualmente se exige que um Município seja gerido. Sabemos interpretar bem, os sinais que a população nos dá.

Já têm a escolha definida?
Atualmente ainda é cedo para fazer escolhas. Apenas sabemos o tipo de perfil do nosso candidato.

.