Não matava mas engordava… Por Augusto Gil

Se por acaso comer como muitas, refeições de Pão com azeitonas e beber um quortinho de pinga, era uma refeição daquele tempo já hoje consideramos uma entrada enquanto não vem um naco ou febra de Porco num Restaurante. Os enchidos em casa só os tinham quem podia criar um porquito, por isso mesmo, aproveitava-se tudo até o osso mais duro que ía p´ro cão, mas muitas vezes enquanto tivesse o tutano p´ra sopa o (cão) que esperasse até ficar mesmo seco. As receitas seculares de irem apanhar labaças,tubras espargos,baldroegas e até azinhas nada tinha a haver com a abundância de haver couves e os restantes vegetais. A casita que nem havia, dava para inventar até a própria cebola crua ou o tomate com sal foi em tempos manjares à falta de melhor.O Pão escasseava tanto que o pedinte mais esfomeado quando nos batia à porta nos pedia “… um bocadinho de pão se faz favor”, era talvez o que metia na boca com o toque de dureza substancial e que entre duas dentadas e uma”pinga d´auga tava alimentado”.

A ideia nunca podia ser esquecida em que assar na brasa mesmo sem os condimentos de agora se fazia, recordo muitos que já na altura ao pedir esmola, pediam um bocadito de banha, azeite e sal.Vamos andando e… Nos anos idos, em certas casas de Almeirim acontecia isto. Parte dos Almeirinenses fazendeiros e não só, acordávam por volta das 6/7 da “manhin” ou menos, todos os dias. Apesar de não ser oriundo de uma familia de fazendeiros era norma isto acontecer porque como todos sabemnaqueles anos o deitar era logo depois do jantar depois de uma pequena conversa ou estarmos a olhar para a mãe a apassajar qualquer coisa, lavar 3 pratos e não mais e por vezes vê-la a passar a roupa naquele ferro a carvão com um “Galo” na ponta do dito. Logo o deitar por volta das 9 e picos e a levanta logo de manhã bem cedo. Bem, falando da vizinhança que contrariando o que é disposto actualmente com o sossego matinal, era um vê se te avias. Consideração pelo vizinho do “Lado”? Tá bem tá. Quem quer que fosse por aquelas bandas, “amandavam” logo um berro p´rá patroa acender ou avivar a lareira lá no barracão ao fundo do quintal para aquecer o leitito ou o café denominado pelo café das “velhas”, mal feito muitas vezes que era o pequeno-almoço.

.