Almeirinense à conquista da Patagónia: “joelho até se aguentou bem”

Boa noite a todos, finalmente um pouco de net por aqui.
Vai ser mais um resumo rápido porque isto aqui é sempre a correr:
Hoje a ideia era atacar porque era a etapa mais dura e o joelho até se aguentou bem. Mas a 25km do final quando rodava em 6.º da minha categoria tive um furo que me obrigou a perder muitos lugares e a terminar em 10. Como a classificacão é o menos importante, quero apenas dizer que hoje foi o dia que teve as paisagens mais bonitas. Se todas as outras já o foram imaginem a de hoje.
A etapa começou nas florestas virgens e ainda intocáveis pelo homem, apenas o trilho onde passamos está aberto a caminhantes. hoje também foi o dia de passar em alguns dos dos pontos mais altos desta prova, uma passagem numa ponte suspensa a 80 metros de altura sobre um dos rios chilenos (Parece facil, mas abana um pouco (sorrisos) a passagem nas margens do lago Hulalafque (sorrisos penso que é assim) e ainda avistar m dos vulcoes que ja se encontram no lado da Argentina (passámos a 500m da fronteira Argentina).
Foi na zona da ponte suspensa, aos 45km, que percebi que tinha um furo o que me fez rodar quase sem pressão no pneu da frente durante 25km, o pior era mesmo nas descidas onde o risco de queda era enorme, mas mesmo assim preferi nao parar.
Os últimos 15kms a rolar em plano e contra o vento foram de grande sofrimento, rolei sempre sozinho durante todo este tempo o que me fez aumentar o tempo de prova consideravelmente.
Mas chegar ao fim inteiro é o que interessa.
Quero dedicar esta etapa aos meus pais que fizeram anos e com imensa pena minha nao estive presente.
Obrigado a todos pelo vosso apoio e a faltar apenas uma etapa vou tentar cumprir mais um sonho de chegar ao fim em mais uma aventura.
Se por acaso alguém estiver interessado em acompanhar as minhas crónicas desde o inicio visitem a pagina do Jornal Almeirinense.

Pedro Bento conta nesta aventura com o apoio de: Riba Bike, Victory Endurance, Óptica vanessa, Treinar Melhor e Overdesinstickers.com. 

Veja aqui as outras crónicas.

Almeirinense à conquista da Patagónia: “Só há um computador para 300”

 

 

.