Pampilho ao Alto 4

Antenas de operadoras de telemóveis.

Confesso que para além do mero entendimento do labirinto legal que regula a matéria, não tenho preparação cientifica para aprofundar tantas dúvidas correlacionadas com a possibilidade de a saúde das pessoas sair afetada pelas radiações das antenas das operadoras de telemóveis. Existe na realidade legislação Nacional e Comunitária que regulamenta a instalação daqueles equipamentos, de modo a que, sejam mínimos os seus efeitos na saúde pública. Por cá, existe até a Autoridade Nacional de Comunicações, que regulamenta e fiscaliza esses procedimentos. Do mesmo modo que a radiação magnética proveniente de telemóveis, fornos de micro ondas e outros equipamentos nos podem prejudicar a saúde, também a radiação electromagnética das antenas das operadoras de telemóveis não será excepção. A dúvida persistente é, em que medida a potência irradiada, poderá ser responsável pelo aparecimento de sintomas que afetem a saúde daqueles que, pela proximidade vivem em permanente contacto com a radiação dessas antenas, especialmente as crianças, que são o grupo mais vulnerável. Estou convicto que as autoridades locais, mormente a Câmara Municipal , e as Juntas de Freguesia não deixarão de ter em conta estas e outras preocupações das populações.
No tocante à instalação da última antena em Fazendas de Almeirim, gostaria apenas de alertar que muito próximo existe uma outra, e na proximidade das duas, uma escola. Certamente que as autoridades não deixaram de ter este e outros factores em consideração, mas, bem melhor ficaria (e talvez até fosse possível reduzir potência de radiação) se fosse instalada no ponto mais alto da vila onde já se encontram outras.
É notório que a escolha do local para esta instalação, obedeceu somente a critérios económicos, impondo um mamarracho no centro da vila, estética e localmente desenquadrado. Isto, faz-nos desconfiar que, as operadoras nos andam a pôr as antenas; “não às claras, mas à descarada”.

Ernestino Tomé Alves
Advogado

.