Escolas do concelho ainda estudam provas

As escolas do concelho ainda estão num período de análise. Segundo apurámos, os Diretores ainda vão auscultar os professores das suas escolas, antes de decidir sobre as provas. Há vontade de concertar posições e só no final de abril é que haverá certezas.

As provas de aferição no 2.º, 5.º e 8.º anos só serão obrigatórias no próximo ano letivo. Este ano fica ao critério das escolas fazer ou não as provas. O Ministério já marcou as datas das provas. As provas de aferição no ensino básico – 2.º, 5.º e 8.º anos – só serão obrigatórias a partir do ano letivo 2016/2017. Este ano fica ao critério de cada escola fazer ou não, anunciou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros, onde foi aprovado o modelo integrado de avaliação externa das aprendizagens no ensino básico. “As escolas têm a possibilidade de não efetuar as provas [este ano]. A introdução deste regime transitório visa ir ao encontro das preocupações que existiam por parte de alguns diretores”, explicou Tiago Brandão Rodrigues, acrescentando que “esta solução transitória não vai provocar nenhum problema de equidade”.
Por outro lado, as escolas que se vinham preparando para as provas finais de 4.º e 6.º anos (e que foram eliminadas) poderão também optar por realizar provas de aferição nesses anos “se quiserem aferir internamente os processos de aprendizagem”. Questionado sobre se a criação desta norma transitória mostra que houve precipitação por parte do Governo nesta matéria, Tiago Brandão Rodrigues respondeu rapidamente que “não houve nenhuma precipitação”, explicando
que foi entendido “que esta norma transitória tem sentido para que as escolas se possam organizar”.

 

 

Com Observador

.