PJ fez buscas em Almeirim numa operação com 13 detidos

Em comunicado, a Polícia Judiciária, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, desencadeou uma operação, sob o nome de código “Game Over”, na sequência da qual procedeu à localização, identificação e detenção de treze suspeitos da prática continuada de crimes de falsificação de documentos e de burlas agravadas.

Um das buscas foi realizada em Almeirim, no dia 10 maio, e foi mesmo detida uma pessoa para interrogatório, tendo já saído sem medidas de coação. Ao que o nosso jornal apurou a mulher visada não tem sobre si acusações, mas o companheiro ficou em prisão preventiva.

Nesta ação concertada foram realizadas quarenta e uma buscas e apreendidas dezassete viaturas automóveis, cerca de nove mil euros em dinheiro, noventa e três computadores e telemóveis, uma arma de fogo e uma grande quantidade de documentação demonstrativa do cometimento da atividade delituosa.

A investigação decorre há cerca de um ano e meio, visando um grupo que recorria a identidades falsas ou de terceiros, os quais, a troco de dinheiro, facultavam os seus elementos de identificação para instruir, de forma fraudulenta, processos de crédito ao consumo.

As aquisições incidiam sobre bens móveis, especialmente viaturas, computadores e telemóveis, mas, também, sobre imóveis, acabando por lesar as entidades financeiras e, igualmente, terceiros de boa fé que posteriormente os adquirissem.

Para além do recurso ao crédito efetuado dessa forma, o grupo também transacionava viaturas furtadas ou roubadas. Com este modo de atuação, os autores conseguiram recolher e distribuir por si, globalmente, montantes que ascendem a várias centenas de milhares de euros.

Foram detidos na altura, onze homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 31 e os 69 anos.

O Jornal Correio da Manhã acrescentava que podem existir centenas de vitimas e as burlas podem ascender a meio milhão de euros.

.