Almeirim é mais do que Sopa da Pedra

Faleceu no passado dia 20 de Junho, o Mestre David Ribeiro Telles, figura maior da tauromaquia portuguesa e uma das maiores a nível mundial. Nascido em 1927 em Almeirim, a morte de David Ribeiro Telles teve destaque em toda a imprensa generalista, da SIC ao Expresso. Embora tenha vivido grande parte da vida em Coruche, Mestre David nunca deixou de estar ligado a Almeirim, nem de a tratar como sua casa.
É assim com alguma tristeza que se regista uma falta de reconhecimento por parte do município a um dos nomes mais conhecidos da cidade. Por parte do presidente do município, um singelo “post” de Facebook, francamente pouco quando a demolição dos celeiros valeram já pelo menos uma dezena. Por parte da Assembleia Municipal, um voto de pesar, embora unânime, mas aprovado em bloco com outros dois, sem que o seu reconhecimento seja feito com o destaque que lhes é merecido (a todos os que foram recordados).
Almeirim é mais do que a Sopa da Pedra e a história do Paço Real. A tauromaquia é uma tradição viva do nosso concelho, com protagonistas de reconhecida craveira além-fronteiras. Cabe assim ao município valorizar através das suas estruturas (nomeadamente museu municipal, valorização turística e outras) aquilo que Mestre David deu à cidade, ao país e ao mundo, procurando, por exemplo, junto do Município de Coruche, que bem tem sabido valorizar a festa brava, a melhor forma de homenagear o “Mestre dos Mestres”.
A pouco mais de um ano das eleições autárquicas e num momento em que na Assembleia da República são cada vez mais recorrentes os ataques à tauromaquia, devem ser as autarquias a defender este ícone cultural, responsabilidade essa que é acrescida no nosso Ribatejo e ainda para mais com autarcas que tanto criticam o “centralismo de Lisboa e os burocratas de Bruxelas”. As pessoas que dão corpo às tradições locais são os maiores ícones das suas regiões e cabe aos autarcas (de todos os partidos) defender e valorizar as suas memórias e as suas actividades enquanto a população reconheça essa importância.

 

Miguel Dias
Estudante de Jornalismo

.