O direito à educação e cuidado da pessoa com deficiência física ou mental

Com a viragem do milénio a humanidade viu-se enriquecida com algo que pretendeu ser farol e indicador do caminho a seguir neste novo século. Coordenada por Jaques Delors, a comissão internacional sobre educação para o século XXI, no seu relatório intitulado “Os Quatro Pilares da Educação”, procurou resumir o ideal de educação através de quatro pontos de partida capazes de fazer de nós pessoas melhores e mais completas.

Englobados no pilar “Saber Ser” – que indica que a educação deverá levar o ser humano a crescer como um todo nas suas diversas dimensões – podemos encontrar três outros pilares que compõem este ideal. Depois do “Aprender a Conhecer” e do “Aprender a Fazer”, é indicado como um pilar do novo paradigma o “Aprender a Viver com os Outros”.

Se importante termos cada vez mais conhecimentos e dominarmos melhor certas técnicas e métodos que permitam produzir e fazer acontecer, é igualmente importante e urgente que se desenvolva através da educação uma mentalidade sempre renovada que permita a inclusão de valores que norteiem moralmente o que se faz.

No “Aprender a Viver com os Outros” quis dizer-se que é essencial que se procure eliminar conflitos, que se procure promover a tolerância e combater o preconceito, que a irradicação das rivalidades destrutivas seja uma realidade. Através conhecimento progressivo do outro e da procura em desenvolver projetos comuns que nos aproximem uns dos outros, haverá a tendência para nos compreendermos melhor (apesar das diferenças) e para nos tolerarmos pela proximidade e semelhanças.

Em suma, o objetivo é fazer da educação um veículo de paz, tolerância e compreensão, sendo este é um tema que, ainda assim, deverá ultrapassar a educação e fazer parte de todas as áreas da sociedade. Cabe-nos a todos perceber a importância deste assunto e partilhá-la com todos os que nos rodeiam.

Neste sentido, apesar de tantos fatores que nos diferenciam, é bom entender a importância de incluir todo o ser humano na humanidade a que pertence. A deficiência física e mental, não sendo algo relacionado com a cor da pele, as crenças ou os hábitos culturais é algo que nos pode afastar. Procuremos ver este assunto com novos olhos, respeitar e integrar que a pessoa com deficiência mental ou física tem direito à educação, tem direito a aumentar os seus conhecimentos e a evoluir dentro das suas possibilidades. E deveremos perceber que, assim como já alguém cuidou de nós, deveremos procurar cuidar de quem não pode cuidar de si próprio. A educação e o cuidado são direitos de todos aqueles que possuem alguma deficiência física ou mental. Se conhece alguém que deva ter acesso à educação ou a cuidados, informe-nos.

 

Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Almeirim

.