Semana Europeia da Mobilidade: estes transportes não me servem!

Atrasos, cancelamentos, preçário dos títulos de transportes, alterações e supressão de horários são as queixas mais frequentes dos consumidores, utentes dos transportes públicos coletivos que reclamam na plataforma DECO www.queixasdostransportes.pt. De 11 de fevereiro a 19 de setembro, mais de 6. 700 consumidores já se inscreveram nesta plataforma e assinaram a Carta dos Direitos dos Passageiros de Transporte Público Coletivo proposta pela nossa Associação.

A presente edição da Semana Europeia da Mobilidade, a decorrer até dia 22 deste mês, propõe “Mobilidade inteligente. Economia Forte”, chamando a atenção de todos os intervenientes para os benefícios para a economia local de um correto planeamento e de uma utilização racional dos transportes. Metas que dificilmente serão alcançadas enquanto se vivem situações como as reclamadas à DECO e que não podem continuar a ser meros constrangimentos na vida dos cidadãos portugueses, enquanto passageiros.

A área metropolitana de Lisboa anunciou que, no âmbito desta efeméride, oferecerá um mês gratuito aos consumidores, mas apenas aos novos clientes que adiram ao passe intermodal, incentivando ao uso dos transportes públicos coletivos. Medida interessante, mas que ficará aquém das mais de 1. 500 queixas dos utentes destes concelhos, com uma perda de cerca de 3.100 horas de tempo familiar e laboral, em todo o país, com larga incidência nesta área.

As reclamações provam a insatisfação dos utentes de todas as categorias de transportes, com maior incidência nos transportes rodoviários, comboios e metropolitano, dados sustentados pelas notícias recentes de que os Transportes de Lisboa (Carris, Metropolitano de Lisboa e Grupo Transtejo) perderam 59,7 milhões de passageiros.

Para conhecer melhor a situação, decidimos verificar a pontualidade e a regularidade dos comboios suburbanos. Durante 10 dias úteis de maio de 2016, controlámos os comboios suburbanos que circularam em todas as linhas de Lisboa, Porto e Coimbra, com destino a estas cidades e com hora prevista de chegada entre perto das 7h e das 10h30m: hora de ponta da manhã. No total, abrangemos 170 comboios por dia, num total de 1700.

Verificámos que, neste período, as linhas de Sintra e de Cascais, ambas em Lisboa, foram as que registaram pior desempenho. A de Cascais apresentou mais atrasos. A linha de Sintra foi a que viu mais comboios suprimidos: 12 nos 10 dias em que decorreu a análise. Anomalias ou avarias das composições e problemas de infraestrutura são as principais causas.


SUZANAPESTANA
Gabinete Novas Iniciativas

.