Pampilho ao Alto 16: Almas do outro Mundo

Que bom seria se, nos locais que alguns seres humanos frequentam, existisse uma antecâmara com a indicação da obrigatoriedade de: “tomar duche de humildade”. Assim, alguns e algumas ficariam lavados do orgulho e arrogância que bacocamente tentam impor aos demais. Há indivíduos de certas classes profissionais que se auto arrogam estatutos e privilégios pessoais e profissionais desadequados com a época e funções que desempenham. À falta de estatuto que lhes atribua prerrogativas ou classe social distinta, põem-se em bicos de pés para exibir a licenciaturazita, (que aos pais custou suor, e tantas vezes lágrimas) mas, no fim, essa demonstração de puro pavoneio é a prova de que pouco ou muito pouco, aprenderam nas faculdades que os licenciou.
Lá, com certeza ouviram e assistiram diariamente a lições de humildade dadas pelos sábios Docentes que, apesar de Catedráticos, têm a humildade de reconhecer que existem outros conhecimentos acima dos seus.
O erudito emite opinião no respeito pela dos outros; o imensamente rico, quase sempre tem a humildade de reconhecer que existirá, algures, alguém ainda mais rico, tal como o recordista humildemente aceita que o seu record pode cair a qualquer momento. Porém, alguns e algumas, só porque têm uma Licenciatura, ou desempenham determinadas funções, pensam ter atingido o alfa e o ómega do estatuto social, tentando impor aos outros os galões que só na sua imaginação existem.
Pobres diabos e diabas! Que triste figura fazem! Tomem um duche de humildade e deixem de ser ridículos.

 

Ernestino Alves
Advogado

.