Do Caldo de Pedra à Sopa da Pedra

Do Caldo de Pedra de Teófilo Braga (contos tradicionais do povo Português, 1883) à Sopa da Pedra de Paula Rego e Cas Willing, 2015. Ao longo dos anos, Almeirim prosperou e a Sopa da Pedra cresceu consigo. Ambos de mãos dadas caminharam, tornando-se hoje inseparáveis aos olhos de todos. Longe vai o ano de 1962, em que o restaurante “O Toucinho” começou a confecionar a sopa da pedra e a ser falado entre os comensais, numa altura tão antiga, em que as palavras “publicidade” e “marketing” ainda não teriam sido inventadas. Hoje, Almeirim, Capital da Sopa da Pedra, passou a Capital Gastronómica de Portugal e quem o prova são os números e os factos. São cerca de 1100 lugares de estacionamento e os 12 restaurantes que se acercam da Praça de Touros de Almeirim. É a capacidade de lugares sentados nos mesmos, e o número de refeições ali servidas. É a localização de Almeirim e a sua centralidade, os eixos rodoviários que aqui se cruzam e os milhares de pessoas que, mensalmente, nos visitam para saborear a Sopa da Pedra, acompanhada das caralhotas e dos bons vinhos que se produzem aqui tão perto do Tejo. O facto de o Sr. Primeiro-Ministro, Dr. António Costa, ter escolhido recentemente Almeirim para assinalar a descida do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) no setor da restauração, fazendo-se acompanhar do Ministro da Economia, Dr. Manuel Caldeira Cabral e do presidente da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), o Comendador Mário Pereira Gonçalves e tantos outros agentes da restauração. São todos estes números e factos, assim como os milhares de visitantes que contribuem para a verdade dos acontecimentos. Só quem chega a Almeirim é que se apercebe da dimensão e da importância da sua gastronomia, para as quais muito contribuem a Câmara Municipal de Almeirim e o seu presidente, que há muitos anos mantém uma divulgação ativa e que cativa o agora chamado Turismo Gastronómico. A restauração também tem um papel muito importante, pois mantém-se em constante atualização, com instalações bem equipadas e decoradas. A Confraria Gastronómica de Almeirim, fundada em 2004, também tem dado, e muito, o seu contributo. Confraria de gente nova em idade, dinâmicos, ativos e muito convictos. Procuram estar sempre numa constante promoção e divulgação do vasto património histórico, etnográfico, gastronómico e enófilo do concelho de Almeirim. Para isso, tem ajudado em muito a sua participação em feiras, eventos e congressos da especialidade, assim como uma constante “procura” para que a Sopa da Pedra possa estar sempre ligada ou presente na ementa dos grandes eventos nacionais. Mais recentemente, foi criado e organizado o Festival da Sopa da Pedra e do Petisco, certame que já ganha posição na lista de eventos gastronómicos do país. Toda esta atividade origina uma grande quantidade de artigos e reportagens televisivas que contribuem para enaltecer e divulgar o património gastronómico e enófilo local. Por todos estes motivos, assim que tiver oportunidade, passe por Almeirim e prove a sua tradicional Sopa da Pedra, uma Caralhota e o melão.
Visite Almeirim, a Capital. Aqui temos uma mesa reservada para si.

 

Rui Figueiredo  – Confraria Gastronómica de Almeirim

.