Da esquerda para a direita: Constituição

A Constituição, os jovens e o ambiente
A Constituição da República Portuguesa (CRP) está de parabéns pois completou, a 2 de Abril, 40 anos, e é nela que nos guiamos, como cidadãos responsáveis e conscientes que somos, para defender e garantir os nossos direitos e deveres. Muito embora alguns dos nossos direitos tenham vindo a ser, de alguma forma, “ignorados” pelos sucessivos governos, como exemplo do disposto no artigo 70.º da CRP: “todos devemos ter condições para a vida ativa”. Outro exemplo ainda diz respeito ao artigo 66.º: “1- Todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender.” Somos, portanto, responsáveis por denunciar, prevenir e atenuar os desastres que têm vindo a ser cometidos contra o nosso ambiente, pelo que, hoje em dia, ser jovem ecologista e ser uma voz ativa e participativa é de extrema importância.
Portugal está a consumir cada vez mais energia, contribuindo para a escassez dos seus recursos, pois as energias alternativas renováveis ainda não estão devidamente exploradas para fazer face às necessidades. Apesar de no concelho de Almeirim já se tomar algumas medidas, como por exemplo, na iluminação pública, ainda muito está por fazer. Podíamos aproveitar o facto de sermos um país com muito sol para aproveitar a energia solar. Na área dos transportes, devemos também ter a preocupação com o excesso de tráfego rodoviário em circulação, que contribui para a libertação de gases com efeito de estufa para a atmosfera, tendo implicações graves nas alterações climáticas. Por isso, optar pelo uso de transportes públicos, que devem estar articulados em rede e com horários adequados à vida das pessoas, é também proteger o nosso ambiente e o futuro do nosso planeta. Outra preocupação que temos é com a água e o seu uso eficiente. Uma vez que “a água não se nega a ninguém” e é um bem essencial à vida, não deve ser vista como mercadoria. Infelizmente, o acesso à água é escasso em muitas regiões do nosso país, pois este é um recurso acessível apenas aos bolsos que têm dinheiro.
Outro artigo da CRP que não está a ser devidamente cumprido é o artigo 70.º relativo à juventude: “1- os jovens gozam de proteção especial para efetivação dos seus direitos económicos, sociais e culturais, nomeadamente, (…) b) no acesso ao primeiro emprego, no trabalho e na segurança social (…) ”. Atualmente, a taxa de desempregados é de 10,5%, sendo verdade que, neste momento, diminuiu face ao ano anterior; ainda existem cerca de 13,3% (301,7 mil) de jovens, dos 15 aos 34 anos, que não estão empregados nem a estudar, ou em formação.
Assim, devemos levantar-nos, como jovens que somos, não compactuar com estas medidas que não servem para criar novas alternativas de vida. Precisamos de ser cada vez mais conscientes e politicamente ativos, para construir um caminho que se quer mais justo, solidário e ecologicamente mais saudável.
Ana Rita Fernandes

Membro da Ecolojovem, Os Verdes e da CDU de Almeirim

.