W Shopping, a preferência de 40 milhões de pessoas

Rui Rosa, administrador do W Shopping, esteve à conversa com O Almeirinense onde revela que o 13º aniversário do centro comercial foi um sucesso com as várias iniciativas que decorreram no passado mês de outubro. Revela, ainda, os momentos mais marcantes da sua administração e espera que o crescimento do W Shopping seja uma constante.

O W Shopping comemorou o 13.º aniversário no dia 28 de outubro. Foram várias as iniciativas para assinalar a data. Como correram?
A celebração do aniversário do W Shopping, desde 2014, não tem decorrido num só dia específico, que é o 28 de outubro, mas temos feito o mês do aniversário. Há três anos, iniciámos essa dinâmica com o mês da cultura avieira, que foi um sucesso, e que potenciou um crescimento de 30% de tráfego nesse mês em relação a períodos homólogos. O ano passado dedicámos à cultura e por isso nos associámos ao Círculo Cultural Scalabitano, uma referência cultural incontornável desta cidade e foi um mês dedicado a todas as atividades abrangidas por eles: teatro, ballet, esgrima, coros, a Orquestra Típica Scalabitana.
Dedicámos o último mês de outubro, 13º aniversário do Centro à Música, iniciámos no dia mundial da música com os “Três Bairros”, que é um grupo de referência de Santarém, e alicerçados a esta temática tivemos toda uma programação associada ao Conservatório de Santarém com Ensemble de Flautas Transversais, Orquestra de Saxofones, Coro de Jovens e Grupo de Música de Câmara. Nesta mesma linha, tivemos apontamentos aos fins de semana com o saxofonista Santos Rosa, que confere um ambiente distinto ao Centro e encerrámos com a Orquestra Tipica Scalabitana. E como este é um centro ecléctico, no dia do aniversário, 28 de Outubro, presenteámos a cidade com um espetáculo de stand up com Luís Filipe Borges. Resumindo, o mês de aniversário tem sido sempre um enorme sucesso deste centro comercial.

Disse nesse dia que “Continuaremos a abraçar a região de Santarém e as nossas gentes com o mesmo empenho e orgulho de sempre”. Esta frase, em jeito de promessa, sugere que há um compromisso grande com os clientes?
Inequivocamente, o nosso compromisso é com os nossos clientes, é com a nossa cidade, com toda a região. Não nos vemos de outra forma, senão estar perto de agentes culturais, desportivos, de solidariedade, afinal com todas as forças vivas da cidade. Estas são as maiores prioridades desde que esta equipa de gestão assumiu funções há seis anos.

Estamos a chegar a uma época associada a grande consumo. Quais são as expectativas para este Natal?
É uma época que, por excelência, potencia o consumo. Naturalmente, como todos os outros projetos, os meses de novembro e dezembro são fortes: crescem as vendas, aumenta o tráfego, e preparámos o centro de forma distinta para acolher quem nos visita e para que, essencialmente, se sintam confortáveis e que a oferta do W Shopping seja uma vez mais, reconhecida.

Como vão preparar essa quadra aqui no centro?
O Pai Natal e a sua chegada é sempre um momento de grande sucesso do W, que vai acontecer no dia 1 de dezembro, pelas 16 horas, e escolhemos sempre uma forma diferente para a sua chegada: umas prendinhas para dar aos meninos, temos um espetáculo dedicado às crianças, que estamos em crer vai ser um enorme sucesso, à semelhança dos últimos anos; modelagem de balões; pinturas faciais e espetáculos para os mais pequenos, farão parte do programa do mês de dezembro. A magia do Natal potencia também a solidariedade, por isso iremos ter uma loja para venda solidária a favor da A.P.P.A.C.D.M. .
Por outro lado, apostámos uma vez mais numa decoração de Natal diferenciadora, elegante e moderna, que tem o seu expoente máximo na Árvore de Natal exterior, com 20 mts de altura, que já vem sendo uma referência em anos anteriores, muito bem acolhida pela cidade.

O trabalho desta administração tem sido grande na tentativa de procurar novos lojistas e ao mesmo tempo atrair clientes a este espaço?
Felizmente, o W Shopping é um projeto atraente, o que se materializa numa taxa de ocupação de cerca de 92%. O W Shopping tem um mix consolidado que responde às necessidades dos clientes, quer pela oferta de marcas, quer pela diversidade destas e de serviços. A atração de novos conceitos assenta numa estratégia definida pelo conhecimento intrínseco que temos da região, e das tendências que o próprio mercado, e a conjuntura vão ditando.
Temos a preocupação de manter um centro dinâmico, eclético, confortável e moderno, e justamente nesse alinhamento, temos investido, por exemplo, na remodelação da área da restauração, a remodelação das instalações sanitárias, a integração de iluminação led, introdução de painéis publicitários digitais, criação de parques infantis para as crianças, até ao investimento que fazemos na qualidade do ar interior… São esses bons argumentos que temos de ter presentes para que o centro seja apreciado por quem o visita.

Com Lisboa tão perto não é difícil esta tarefa?
São projetos completamente distintos. Lisboa é a capital do nosso país e o W é um centro comercial regional, estruturado para responder às necessidades do meio que o envolve.

Dr. Rui Rosa, acredita que a crise financeira já passou?
Neste momento, não se poderá falar da existência de uma crise financeira, mas sim de uma nova realidade com um padrão de consumo que mudou, e essa mudança de paradigma ocorreu no nosso cliente, nos lojistas e também na gestão do projeto. Nesta senda posso referir que, nos últimos anos, o W Shopping teve a capacidade de se adaptar e por isso tem conseguido consolidar crescimento de vendas.

Nos primeiros seis anos, visitaram o W shopping 20 milhões de visitantes e, em 2015, o W Shopping teve um total de visitantes que se situou nos 3 milhões e 200 mil. São números muito significativos, já há mais dados atualizados?
Efetivamente, encerrámos o ano de 2015 com cerca de 3,2 milhões. Perspetivamos que no final de 2016 atingiremos os 40 milhões.

Que momentos marcantes podem ser identificados desde que o Rui Rosa é Diretor Geral do W Shopping?
Têm sido seis anos marcados positivamente pelo crescimento, quer em tráfego, quer em taxa de ocupação, quer em investimento que contribuíram de forma significativa para o aumento do bem-estar e da segurança dos nossos visitantes. Santarém tem todos os bons argumentos de uma cidade com ótima qualidade de vida: tem um património assinalável, boas gentes e uma oferta gastronómica distinta. Acredito que o caminho é sempre valorizar mais aquilo que temos, e o papel do W Shopping tem sido também o de catalisar e aglutinar as suas forças vivas. A história do W, nestes últimos seis anos, assenta essencialmente em Marcas de Referência, Modernidade, Espaço Família e Dinâmica Cultural, assumindo também as suas responsabilidades sociais, fatores que promovem uma interação privilegiada com a região. Sublinho a importância de toda uma equipa de gestão coesa e profissional que contribui de forma determinante para estes resultados.

Há cerca de 16 anos surgiu o convite para integrar a administração do centro Campera, no Carregado. Foi aí que começou a aventura de gerir espaços comerciais? Tem gostado?
Tem sido uma experiência profissional riquíssima, desde logo, pela diversidade de temas que envolvem a gestão de um Centro Comercial, e que vão das questões patrimoniais, às questões técnicas, passando pelo marketing, construindo e consolidando projetos, com base num sério trabalho de equipa. Como em qualquer outro projeto, profissional ou pessoal, deveremos sempre sentir a inquietude e o inconformismo com aquilo que realizamos, querendo, com uma vontade enorme de aprender e de crescer, ir sempre mais além e enfrentar novos desafios.

Certamente que acompanha as tendências da moda, quer ao nível da oferta nestes espaços comerciais, quer no âmbito da dinamização do próprio Centro. Continua a priorizar a busca de novos conceitos?
Faz parte do nosso trabalho acompanhar as últimas tendências e procurar corresponder às expectativas do nosso cliente, implementando um mix de lojas atrativo e que seja ajustado ao mercado onde nos encontramos.

 

PERFIL

Rui Rosa tem 54 anos e está há 15 na gestão de Grandes Superfícies Comerciais. Casado e pai de três filhos, ingressou no mundo do trabalho na direção administrativa de uma indústria metalomecânica. Foi depois convidado a integrar a administração do Campera Outlet Shopping, cargo que desempenhou durante uma década. Dessa altura ficou o gosto pelos centros comerciais: foi um crescendo de trabalho e de empenho que o trouxe até Santarém para a direção do W Shopping, projeto gerido pela multinacional JLL (Jones Lang LaSalle). Com um dia de trabalho que começa cerca das 6:30, Rui Rosa confessa que é incapaz de desligar o telemóvel: há que manter toda uma retaguarda de apoio técnico, o que requer uma atenção diária permanente ao projeto.
Foi Escuteiro por mais de duas décadas, onde foi também Dirigente, tendo passado por diversas outras associações, entre as quais se destaca ser um dos fundadores de um Centro Social Paroquial que levou a cabo a construção de um Lar de 3ª Idade – Carregado. Durante 12 anos foi deputado da Assembleia Municipal de Alenquer e Presidente da Assembleia de Freguesia do Carregado e, da experiência política, à qual diz não pretender voltar, valoriza ter podido dar um contributo para o crescimento e a dinâmica da terra.
Lema de vida: “Procurai deixar o mundo um pouco melhor do que o encontrastes” – Baden Powell – Fundador do Escutismo, na sua última mensagem.

.