Da esquerda para a direita: Educação

“Não lhe dês o peixe, ensina-o a pescar” – Provérbio chinês.
Sem educação apropriada a sociedade não poderá evoluir. O facto de termos mais formação torna-nos mais competitivos face a outros, permite-nos ter maiores salários e empregos mais qualificados. Todos queremos dar um melhor futuro aos nossos filhos. E por isso preocupa-nos que estejam numa escola onde tenham a oportunidade de “aprender a pescar”. Que adquiram conhecimentos que possam aplicar na sua vida profissional futura. E que esse local também os ensine a serem bons cidadãos. Foi amplamente discutido, recentemente, a melhoria de Portugal nos rankings internacionais de educação. Muitos associaram esta melhoria ao aumento da exigência, principalmente com exames e rankings. Não podemos gerir o que não podemos medir. E isso é uma verdade para a gestão mas também para a educação.
Recentemente, o jornal O Observador elaborou o ranking das escolas 2016 com base nos exames do 9º e do 12º. Como qualquer outro benchmark devemos olhar para ele para perceber como está a educação no nosso Concelho. A Escola Secundária Marquesa de Alorna apresentou-se no lugar 238 do ranking com média de 10,7. Se olharmos para Santarém, a Escola Secundária Dr. Ginestal Machado está em 130 e a Escola Secundária Sá da Bandeira em 158. O argumento de que escolas com uma grande percentagem de alunos carenciados, pelo facto de estes terem menos meios, não é um fator decisivo nos resultados escolares. Se não, como explicar que a Marquesa de Alorna esteja em 238 com 24,3% e a Sá da Bandeira em 158 com 23,3%?
Se tomarmos em consideração os resultados do 9º ano, a Escola Secundária Marquesa de Alorna apresenta-se no lugar 587, com 2,7 de nota, e a Escola Básica de Fazendas de Almeirim no lugar 828 com 2,5. A escola com melhor classificação, das oito escolhas de Santarém, é o Colégio Infante Santo, que está no lugar 27 com média de 3,81. A segunda melhor é a Escola Secundária Sá da Bandeira, que ocupa o lugar 75 com 3,5, e a oitava e última é a Escola Secundária Dr. Ginestal Machado no lugar 800 com nota de 2,54.
Como se explica que a melhor escola de um Concelho, no Secundário, neste caso a Ginestal Machado, seja a pior no 9º ano?
Porque têm as escolas privadas normalmente as melhores notas e ficam nos lugares cimeiros dos rankings? Estas escolas normalmente apresentam-se com maior disciplina e sem os problemas educativos típicos do público com faltas dos professores, greves frequentes e incapacidade em dar de forma adequada todo o programa. Mas convém lembrar que as escolas públicas aceitam todas as pessoas incluindo os alunos mais fracos e mais indisciplinados. Sendo os rankings médias de notas, temos de ter isso em consideração, pois é mais difícil a um professor dar aulas no público que no privado. Para termos melhor educação precisamos de escolas materialmente bem apetrechadas, professores capazes, motivados e com autoridade, alunos orientados para a excelência e sem medo de serem avaliados, e de uma estratégia de ensino na qual ensinemos conhecimentos úteis mas os treinemos para pensarem e terem espírito crítico sobre as coisas.

João Lopes

Partido Social Democrata

.