Conversas de balcão

Impera a tradição que nas conversas de café e de tasca surjam discussões de vários e dispersos assuntos, estes são abordados sempre que o ambiente e a inspiração os invoca, pouco importa a hora, sempre sem temas delineados, sem moderadores e sem exigir verdades ou factos comprovados, comanda sim a vontade, a revolta e a bebida.

Na verdade pouco é necessário para iniciar um debate, seja umas gordas na capa do jornal, o penalty que foi comprado, o ministro que ninguém sabe o nome, o preço do quilo no hipermercado, aquela mulher no outro país que pensa que manda nisto tudo, o presidente que só sabe dar beijos, o vereador que é amigo do vizinho da fazenda junto à estrada, o cão que apanhou três lebres, o peixe que partiu a cana e que aquelas duas mesas juntas não dão para o postar, o que fazia e acontecia, o copo que vem mais vazio, o mal-entendido que deu para levantar a voz, a mulher que só chateia, entre outros e muito mais.

São maioritariamente homens, verdadeiros autoproclamados possuidores do conhecimento, filósofos do momento e donos da sua verdade, que se podem encontrar nestes debates. Deles podemos saber tudo, encontrar a solução para a crise, que muitos previram e sabiam desde sempre, que com este tempo para o ano vamos estar pior e que este governo é só meninos de canudo que mal sabem o que é uma enxada. Conhecem as terras e as famílias de todos, os trabalhos e os seus defeitos, conspiram sem pudor dos não presentes e, conforme quem lhe proporcionar mais uma descoberta de um fundo de um copo, elogiam logo ali no momento o companheiro do lado. São profetas e sábios, num breve resumo.

Certa vez alguém me disse umas palavras que faço questão de não esquecer “podemos aprender com todos, seja com um mentiroso, um bêbado ou um idiota. Apenas temos que saber o que dele retirar”, o mesmo podemos aplicar a essa instituição secular que são as conversas de café ou de tasca, e que o direito à opinião e a sede nunca permita que se calem as vozes desses sábios de balcão.

 

Bruno Aniceto
Escritor

.