Da esquerda para a direita: Vala Real

A Vala Real, ao contrário do que alguns querem fazer crer, não é um tema exclusivo de campanha eleitoral, particularmente para a CDU!
Em Almeirim, o estado da Vala Real tem sido abordado ao longo dos anos por esta coligação política que conseguiu que as questões levantadas localmente tivessem uma projecção a nível nacional.

Nos diferentes órgãos autárquicos em Almeirim, a CDU levou o tema a discussão por diversas vezes, sempre que surgiam problemas ligados à Vala. Questionámos, entre outros aspectos, a eutrofização, as descargas de efluentes, a utilização de químicos em curas levadas a cabo pelo núcleo de ex-marinheiros da Armada do concelho de Almeirim que mantinha um protocolo com a Câmara Municipal.
Os alertas da CDU de Almeirim conseguiram que o tema Vala Real fosse assunto nacional, por diversas vezes, através do grupo parlamentar do PEV (Partido Ecologista os Verdes), que levou o caso à Assembleia da República.

As intervenções efectuadas pelos representantes da CDU de Almeirim, ao longo de vários mandatos, quer na Câmara Municipal quer na Assembleia Municipal, constam nas actas destes órgãos. Mas para além disso, quem se quiser dar ao trabalho de fazer uma pequena pesquisa pela imprensa local, regional e nacional poderá constatar que o esforço da CDU local conseguiu dar outra dimensão ao problema da Vala Real. Apenas a título de exemplo recordo algumas dessas iniciativas:
– em 2012, alertou para a grave situação da eutrofização da Vala, conseguiu que através do grupo parlamentar Os Verdes fosse feita uma interpelação ao ministério da Tutela;
– em 2013, constatando-se o agravamento da situação, o PEV levantou o problema na Assembleia da República sobre a eutrofização e o crescimento desequilibrado de espécies vegetais invasoras, nomeadamente o jacinto de água e erva pinheirinha e os seus efeitos na qualidade da água e do ecossistema;
– novamente em 2014, através do grupo parlamentar do PEV, voltámos questionar o ministério da tutela sobre a origem da morte de milhares de peixes, sobre a possibilidade de estar relacionada com descargas poluentes, que se vieram a confirmar e deram origem a uma queixa junto ao SEPNA. Questionou-se ainda a utilização de produtos químicos em curas levadas a efeito, processo que gera muita controvérsia na comunidade científica, sobretudo quanto aos impactos não controláveis deste método, nomeadamente na fauna piscícola, para além de não ter grande eficácia na eliminação de infestantes aquáticas.

Para concluir, diria que a VALA REAL será sempre tema enquanto o problema se mantiver!

 

 

António Cruz Martins – PEV / CDU Almeirim

.