Não há soluções, há caminhos: 28 de fevereiro

Confundimos sentir-se bem e gostar de si, achando que sentir-se levezinho é o máximo, quando afinal isso não é assim, e acaba por se virar contra nós.
A verdadeira auto-estima é acreditar que se é capaz, é acreditar em si mesmo, é dizer: “Vai custar-me muito, mas eu sou capaz de enfrentar isto e vou lá chegar.”
Sentir-se bem é outra coisa, se dormi bem, se comi bem, se tomei uns tranquilizantes… talvez me sinta bem, mas isso quer dizer que estou bem na vida?
ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA
Vasco P. Magalhães, sj
.