Não há soluções, há caminhos: 22 de março

Há pessoas que procuram mais o psiquiatra que o confessor. Já foi ao contrário, e não é só uma questão de moda.

O psiquiatra procura desfazer as confusões, o confessor oferece a energia para as ultrapassar. O primeiro ajuda a olhar para a culpa, o segundo garante a graça de que é possível começar de novo, mesmo com culpa. O assumir da culpa e o perdoar deviam andar juntos.

Vasco P. Magalhães, sj

.