Não há soluções, há caminhos: 15 maio

São admiráveis as pessoas que se dedicam a visitar os presos, aqueles a quem ninguém quer e não têm vidas recomendáveis. Precisamos de pessoas assim, gratuitas. Todos nós precisamos que nos livrem de egoísmos, medos, preconceitos, tristezas e outras cadeias. Quem gostaria eu que me visitasse hoje? E quem é que eu hoje vou visitar?
Vasco P. Magalhães, sj

.