Da esquerda para a direita: Civilidade

Na recente cerimónia de inauguração das obras de reconversão do Campo do Sporting nas Fazendas de Almeirim, o Presidente da Câmara, Pedro Ribeiro, referindo-se àquele espaço, instou a população e futuros utentes a tratá-lo como se “fosse deles”.

Quis, desta forma, relembrar aquilo que muitos frequentemente esquecem: o espaço público é pertença de todos os cidadãos e a eles cabe a sua preservação, o cuidado na sua utilização e serem parte ativa na sua proteção. É dever de cidadania proteger um património que é de todos e vigiar um bem material que custou, quase sempre, muitos milhares de euros ao erário público, ou seja, a todos nós.

O Presidente da Câmara fez esta chamada de atenção depois de ter sabido que alguns energúmenos tinham invadido, com veículos automóveis, aquele recinto destinado a atividades lúdicas e desportivas

Infelizmente, este tipo de comportamentos vêm, com alguma frequência, a repetir-se um pouco por todo o país e o nosso concelho não é exceção. Equipamentos de serviço público e de lazer, contentores de lixo, jardins e floreiras, são alvo constante de atos de vandalismo puro.

Mas, se temos de criticar e insurgirmo-nos contra quem pratica tais atos, também temos de censurar o alheamento da generalidade dos cidadãos quanto à denúncia deles. A perceção da maioria dos portugueses acerca dos seus direitos de cidadania tem mais a ver com os seus direitos que com os seus deveres. É mais fácil reivindicar quando não possuímos, que defender quando temos.Numa sociedade assente em elevados padrões de civilidade, todos cuidam e protegem o bem comum e assumem as suas responsabilidades na proteção, vigilância e denúncia dos prevaricadores.

Gustavo Costa~- PS Almeirim

.