Da esquerda para a direita: Eutanásia

Eutanásia, um nome que ultimamente tem causado tanta polémica no nosso país. Tanto a eutanásia como o suicídio assistido cabem dentro do conceito de morte assistida. Pois é com debates e trocas de ideias que conseguimos alargar horizontes sobre este assunto. Atualmente são mais as dúvidas que as certezas sobre este tema, uns a favor, outros contra.

O normal de quem vive em democracia. Temos de saber gerir as emoções neste tema. Pois estamos a falar de vidas. Vidas essas que se optarem por esta solução só têm de ser respeitadas e valorizadas. Pois como diz William Shakespeare: Todo o mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente. Portanto, sim, eu apoio a eutanásia, mas com uma legislação bem definida, onde com ela não possam haver dúvidas de como interpretar a lei.

Temos que ver que cada caso é um caso, e muitas das vezes só quem passa por algumas situações consegue ver esta solução com outro prisma. Um exemplo: uma pessoa a que tenha sido diagnosticada neoplasia já em estado terminal, onde os médicos deram-lhe uns dias de vida, onde para o findar desses dias, a medicação que lhe é dada para as dores já não lhe alivia qualquer sofrimento, será que num caso como este a eutanásia não seria benéfico para o paciente?!

Com isto, terminando, a bem ver ninguém vai ser obrigado a passar pela Eutanásia, só o faz quem o quer, sem obrigações, por isso vamos abrir mentalidades e deixar cada um ter a liberdade de decidir o que fazer com a sua vida até ao fim.

Joaquim Rafael Gomes – PS Almeirim

.