Da esquerda para direita: Fenómenos II

Almeirim parece cada vez uma cidade/concelho de fenómenos! A história mostra que Almeirim teve períodos com elevada relevância no País, mas isso não justifica o que se está a passar.

Estamos no 2º mandato de mais um membro do partido (que infelizmente governou e governa a seus belos prazeres, os destinos da Vila d’Almeirim) que durante as últimas décadas tem transformado a cidade e o concelho. Por vezes, e dando mão à palmatória, com bons exemplos (tendo dúvidas que tenham sido todas dos próprios), mas em que alguns casos transformaram uma boa ideia em algo que deixa muito a desejar. Exemplo disso mesmo é as piscinas, construídas já com problemas nas medidas e não calculadas para o futuro, como é costume, só para o presente, porque no futuro haverá mais construções.

Os celeiros da EPAC, deitados abaixo, com custo elevadíssimos, sem dó nem piedade, não obstando a necessidade de estacionamentos que Almeirim carece em alguns locais, mas não haveria outra solução para aqueles edifícios? Mais recentemente tivemos um potencial 1º andar para o edifício do Mercado (Praça) vários serviços a instalar. E agora, uma “reabilitação” do Jardim da República! Ou será a descaracterização de vez? Pelo “projeto” divulgado, o modus operandi mantem-se, é preferível não cuidar, tratar, manter, mas deitar abaixo e fazer de novo.

Retirar, diminuir e até mesmo desaparecer com os espaços verdes, para dar lugar ao betão! Não bastava a retirada substancial, há alguns anos, do muro lateral, sem qualquer enquadramento, ou manter meses a afio mais de metade da iluminação desligada ou a aguardar intervenção. Sem cuidar do passado e do presente, não adianta pôr betão para o futuro!

.