Os bons velhos noventas

Já não é novidade nenhuma, e só os mais distraídos e desinteressados é que ainda não deram conta da temática que tem tomado conta das últimas grandes festas por todo o país, tem como base musical os anos 90 e tem começado aos poucos a ultrapassar os anos 80 como tema de eleição.

Existem muitas e em vários formatos, umas mais organizadas enquanto outras tentam aproveitar o sucesso que o tema está a ter, mas o mote é sempre o mesmo, festa e os anos 90. Os 80 começam a ser deixados para uma outra geração, aquela que criou os jovens de 90, que de uma forma lhes impingiram os seus gostos, diziam que o novo não se comparava nem qualidade tinha com o que se ouvia no seu tempo e essas é que deviam ouvir. Talvez por isso as músicas dos oitentas duraram até hoje como uma das seleções musicais de eleição. Não nego, mas provavelmente foi o que a geração anterior lhes tentou também fazer, mas a rebeldia falou mais alto, e o mais certo é que isso será um ciclo vicioso que acontecerá de geração em geração.

Mas a verdade é que aquelas são as nossas músicas, a nossa geração cresceu com elas, são as memórias dos walkmans, dos cd’s gravados em casa dos amigos que já tinham gravador, as boys e girlsband, aquela da barbie que todos sabiam, o Da Ba Dee azul, o gajo do chapéu vermelho e muito mais outros ícones fazem bem parte de nós, os miúdos de 90, e gostamos disso.

Mais do que festas é também um regresso a uma década marcante, para muitos que hoje são os adultos deste país estas são as oportunidades para reencontrar e soltar os adolescentes que bem dentro deles estão presentes e apenas precisavam de uma desculpa para voltar a divertir, como nos bons velhos noventas.

 

Bruno Aniceto – Escritor

.