Caem por terra suspeitas de desvio de verbas no Posto da GNR de Almeirim

As suspeitas de desvio de verbas em coimas e gratificados pelo militar do Posto da GNR de Almeirim caíram por terra pois segundo apurou O Almeirinense apenas desapareceram documentos internos da própria instituição que não envolvem verbas monetárias.

Segundo avançou o Jornal de Notícias na edição impressa, o militar de 40 anos teria sido suspenso preventivamente durante 90 dias, situação que não verifica apurou O Almeirinense junto de fonte próxima.

O JN fala numa possível falsificação de documentos e recibos relativos a pagamentos de mutas mas tal situação não é possível porque o sistema é totalmente informatizado, sendo esta gestão feita pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), evitando assim a fuga destas verbas das coimas. No caso dos serviços gratificados, o sistema é igualmente informatizado sendo que as verbas são transferidas diretamente para os guardas que prestam estes serviços.

O militar em causa desempenha funções administrativas há vários anos no posto de Almeirim e está a ser alvo de um investigação interna da Guarda Nacional Republicana.

À comunicação social, o Comando da GNR de Santarém confirmou que está a decorrer um inquérito disciplinar interno mas não adianta mais informações até o mesmo estar concluído.

O militar suspeito foi entretanto transferido para o Posto Territorial da GNR de Santarém, com novas funções no patrulhamento enquanto decorre o inquérito mas entretanto colocou baixa psicológica.

.