Não há soluções, há caminhos: 9 agosto

Se eu vir alguém feliz, acreditarei que há felicidade. Se eu vir alguém da mesma massa do que eu realizado na sua fé, diferente e pacificado a falar de Cristo, seguro porque sabe onde buscar inspiração, então também poderei acreditar nele. A fé transmite-se assim. É o dom, o testemunho que oferece quem vive bem, com alegria, simplicidade e perdão, a sua fé. Esta é a missão inadiável dos pais e dos mais velhos. Mas para isso é preciso, primeiro, reciclar os falsos evangelhos – tristes, legais e medrosos – que trazemos connosco.

Vasco P. Magalhães, sj

.